Caracterizacao de cepas de Exophiala armazenadas no banco de fungos filamentosos do Laboratorio Especial de Micologia da UNIFESP/EPM

Caracterizacao de cepas de Exophiala armazenadas no banco de fungos filamentosos do Laboratorio Especial de Micologia da UNIFESP/EPM

Título alternativo Characterization of Exophiala strains stored in the filamentous fungi culture collection of the Special Mycology Laboratory UNIFESP
Autor Silva, Wendy Colalto Rodrigues da Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Leveduras negras do genero Exophiala respondem por numero substancial de infeccoes humanas superficiais e invasivas causadas por fungos negros. A identificacao acurada de especies de Exophiala baseia-se em criterios morfologicos complementados por tipagem molecular. A infeccao em humanos causada por Exophiala depende de tres fatores principais: porta de entrada, estado imunologico do paciente e tolerancia termica do agente. A maioria destas infeccoes sao cutaneas e superficiais, entretanto, infeccoes sistemicas fatais ja foram relatadas. Objetivos: Estudar as caracteristicas fenotipicas, genotipicas e susceptibilidade a antifungicos de 23 isolados clinicos, identificados fenotipicamente como Exophiala sp. armazenados no Banco de Fungos Filamentosos do LEMI. Metodos: Para a identificacao molecular nos baseamos no sequenciamento da regiao ITS do rDNA, comparamos as sequencias obtidas com sequencias ja depositadas em bancos genomicos (NCBI e CBS) e analizamos as sequencias atraves da ferramenta BLASTn. Para a caracterizacao da macromorfologia e micromorfologia os isolados foram semeados em meio PDA e incubados a 25°C. Para analise de termotolerancia, cada isolado foi semeado em 3 meios de cultura: PDA, SGA e MEA, e incubados em 4 temperaturas diferentes: 15°C, 25°C, 37°C e 42°C. Para cada um dos testes fenotipicos citados, a incubacao foi de 14 dias nas devidas temperaturas para a realizacao das leituras. Os testes de susceptibilidade aos antifungicos, anfotericina B (AMB), itraconazol (ITC), voriconazol (VRC), posaconazol (PSC), 5-fluorocitosina (5-FC), caspofungina (CFG) e terbinafina (TRB) foram realizados por microdiluicao em caldo de acordo com o documento CLSI M38-A2. Resultados: A tipagem molecular teve sucesso na identificacao de 100% das amostras que foram assim reconhecidas: E. dermatitidis (8), E. xenobiotica (6), E. bergeri (4), E. oligosperma (3), E. spinifera (1) e E. mesophila (1). A macromorfologia mostrou que as especies de Exophiala sao pleomorficas com relacao ao aspecto e cor das colonias, mesmo considerando isolados da mesma especie. Em relacao a micromorfologia, observamos estruturas similares entre diferentes especies do genero, nao possibilitando assim a identificacao em nivel de especie, sendo necessario confirmacao por metodo molecular. Na analise de termotolerancia, todas as especies cresceram a 25 e 37ºC com excecao de E. mesophila, que cresceu somente a 25oC. A 42ºC apenas as especies E. dermatitidis, E. oligosperma e E. xenobiotica apresentaram crescimento, sendo as duas ultimas com crescimento reduzido, nao possibilitando caracterizacao. Em relacao a susceptibilidade, as CIMs mais baixas foram verificadas para os azolicos, enquanto que as maiores foram observadas para 5-FC, CFG e TRB. Conclusoes: (i) O sequenciamento da regiao ITS permitiu a correta identificacao de especie para os 23 isolados clinicos; (ii) As caracteristicas observadas nos testes de macromorfologia, micromorfologia e termotolerancia para os isolados de Exophiala spp. analisados, mostraram que nao sao suficientes para a identificacao acurada de especie; (iii) O teste de susceptibilidade para Exophiala spp, utilizando o metodo de microdiluicao em caldo padronizado pelo CLSI (2008) documento M38-A2 para fungos negros, mostrou-se consistente e reprodutivel; (iv) De forma geral, a grande maioria dos isolados testados oin vitroo apresentou CIM ≤0,5 μg/mL exceto para 5-FC e CFG; (v) Apesar das diretrizes nao indicarem AMB para tratamento contra Exophiala sp., esta mostrou-se ativa com CIMs ≤1 μg/mL para todas as especies deste estudo, com excecao de E. mesophila
Palavra-chave Exophiala
Exophiala/genética
Antifúngicos
Idioma Português
Data de publicação 2014
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2014. 112 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 112 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23237

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta