Efeito neuroprotetor da curcumina em filhotes de ratas tratadas desde o acasalamento até a lactação e submetidos à isquemia cerebral.

Efeito neuroprotetor da curcumina em filhotes de ratas tratadas desde o acasalamento até a lactação e submetidos à isquemia cerebral.

Título alternativo Neuroprotective effects of curcumin on rat puppies submitted to cerebral ischemia whose mothers were treated from mating up to lactation
Autor Telles, Maria Valeria Leimig Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Scerni, Débora Amado Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Neurologia/Neurociências - São Paulo
Resumo Curcuma longa (Zingiberaceae) e uma planta medicinal oriunda da Asia, rica em curcuminoides entre os quais a curcumina e o componente bioativo mais importante. A curcumina apresenta propriedades farmacologicas, como atividades anti-inflamatoria e antioxidante, entre outras. Este trabalho avaliou os possiveis efeitos neuroprotetores da curcumina em filhotes de ratas submetidos a isquemia cerebral transitoria global cujas maes, foram tratadas cronicamente (desde o acasalamento ate a lactacao) com curcumina (25 e 50 mg/kg, v.o.). As maes dos filhotes dos grupos falso operados receberam agua destilada e dois grupos foram tratados com curcumina nas mesmas doses. Dez dias apos o nascimento dos filhotes, apenas os machos foram selecionados: FO (falso-operados) maes nao tratadas de filhotes falso-operados, FO+C25 e FO+C50 (maes tratadas com curcumina 25 e 50 mg/kg de filhotes falso-operados), ISQ (isquemiados) maes nao tratadas de filhotes isquemiados e ISQ+C25 e ISQ+C50 (maes tratadas com curcumina 25 e 50mg/kg de filhotes isquemiados). A isquemia consistiu na oclusao da arteria carotida esquerda durante 15 min seguida de reperfusao. Os filhotes do grupo FO foram submetidos ao procedimento cirurgico, exceto a oclusao da carotida. Todos os grupos foram eutanasiados no 1º, 3º, 7º, e 14ºdia pos-isquemia para disseccao do corpo estriado, hipocampo e realizacao de estudos: neuroquimicos (determinacoes de DA e DOPAC), histologico (violeta de cresil) e imunohistoquimicos (iNOS, TNF-alfa e COX-2). Somente o grupo de 14 dias pos-isquemia, foi avaliado quanto as alteracoes comportamentais: (testes do campo aberto, esquiva passiva e labirinto aquatico). Os dados foram analisados por ANOVA, seguido por Newman-Keuls, como o teste post hoc, e considerados significativos quando p<0,05. Observamos que a isquemia aumentou a atividade locomotora e o comportamento de rearing, em relacao ao grupo FO, e o tratamento com curcumina reverteu esta alteracao. Nenhuma mudanca se observou com os testes de esquiva passiva e labirinto aquatico. Os ensaios neuroquimicos revelaram reducoes de 79%, 57% e 29%, dos niveis de DA, nos 1º, 7º e 14º dias apos a isquemia em filhotes cujas maes nao foram tratadas, em relacao ao grupo FO. No entanto, as concentracoes de DA no grupo isquemiado, foram semelhantes as do grupo FO no 3° dia apos a isquemia. As alteracoes nos niveis de DA, nos dias 1º, 7º e 14º apos a isquemia, foram revertidas pela curcumina. Da mesma forma, as concentracoes de DOPAC diminuiram em 58%, 71% e 65%, nos dias 1º, 7º e 14º apos a isquemia, e nenhuma alteracao se verificou no 3º dia. Embora este efeito tambem tenha sido revertido no grupo isquemiado e tratado com curcumina, nos dias 1º e 7º apos a isquemia, nenhum efeito foi visto no 14º dia. A coloracao com violeta de cresil mostrou a presenca de neuronios viaveis em todas as areas dos grupos FO e isquemiados tratados, enquanto o grupo isquemiado nao tratado revelou alteracao na citoarquitetura neuronal, no 1° dia apos a isquemia. As celulas imunopositivas para iNOS foram observadas em todas as areas, no grupo isquemiado nao-tratado, nos dias 3º e 14º apos a isquemia. No entanto, um menor numero de celulas imunopositivas para iNOS estavam presentes no giro dentado e hilo dos grupos isquemiados tratados, no 14° dia pos-isquemia. As celulas imunopositivas para TNF-alfa, foram claramente vistas em todas as areas do hipocampo de grupos isquemiados tratados e nao tratados com curcumina, nos dias 7 e 14 apos a isquemia. No entanto, esta imunomarcacao reduziu-se no grupo isquemiado e tratado com curcumina (25mg/kg) no 3º dia apos a isquemia em (CA1, CA3). Conclui-se que alteracoes comportamentais, neuroquimicas e imunohistoquimicas variam de acordo com o tempo decorrido apos o insulto isquemico, e o tratamento com a curcumina reverteu, pelo menos parcialmente, tais alteracoes, principalmente na menor dose
Palavra-chave Neuroproteção
Curcumina
Isquemia Encefálica
Anóxia
Inflamação
Fármacos Neuroprotetores
Ratos Wistar
Animais
Idioma Português
Financiador Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP)
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23219

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta