Trypanosoma dionisii: caracterização morfológica tridimensional e estudo do padrão de glicolipídeos definidos por anticorpos monoclonais dirigidos a resíduos β-D-Galactofuranose

Trypanosoma dionisii: caracterização morfológica tridimensional e estudo do padrão de glicolipídeos definidos por anticorpos monoclonais dirigidos a resíduos β-D-Galactofuranose

Título alternativo Trypanosoma dionisii: Tridimensional morphologycal characterization and glycolipid pattern study defined by monoclonal antibodies raised against β-D-Galactofuranose residues
Autor Oliveira, Miriam Pires de Castro Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Haapalainen, Edna Freymuller Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O Trypanosoma dionisii e um tripanosomatideo de morcegos filogeneticamente muito proximo ao Trypanosoma cruzi, agente etiologico da Doenca de Chagas. Segundo a Organizacao Pan-americana de Saúde (OPAS), atualmente 7,7 milhoes de pessoas estao infectadas com T. cruzi em 21 paises endemicos desde o sul e sudoeste dos Estados Unidos, ate a regiao central da Argentina e do Chile (Sanchez-Sancho et al., 2009). Assim como T. cruzi, durante seu complexo ciclo de vida, o T. dionisii passa por diferentes formas evolutivas alternando entre hospedeiro vertebrado e invertebrado. Estas formas sao: epimastigotas e tripomastigotas metaciclicas no hospedeiro invertebrado e tripomastigotas sanguineas e amastigotas no hospedeiro vertebrado. Os primeiros estudos morfologicos do T. cruzi foram realizados por Carlos Chagas em 1909 utilizando preparacoes coradas pelo Giemsa, onde estruturas como nucleo, cinetoplasto e flagelo, sao facilmente reconhecidas. As primeiras imagens do T. cruzi utilizando microscopia eletronica foram publicadas em 1954 por Meyer & Porter. Desde entao, varias organelas e estruturas foram caracterizadas ao longo dos anos como: cinetoplasto, membrana plasmatica, reservosomo, entre outras. Em nosso laboratorio, estudos morfologicos foram recentemente realizados para esclarecer a localizacao das organelas ao longo do ciclo de vida do T. cruzi (Ramos et al., 2011). No presente trabalho pretendemos analisar e detalhar a ultraestrutura das diferentes formas do ciclo de vida do T. dionisii, bem como estudar algumas moleculas de superficie e/ou presentes em organelas, com o intuito de identificar diferencas entre o agente etiologico da Doenca de Chagas (T. cruzi) e T. dionisii que nao causa doenca no homem. Alem do estudo da ultraestrutura 3D do parasita, analisamos a reatividade de dois anticorpos monoclonais direcionados a glicolipideos que contem residuos de galactofuranose (Galf) em sua estrutura: MEST-1, produzido contra extrato de glicolipideos de Paracoccidioides brasiliensis, mas que apresenta reacao cruzada com T. cruzi e L. major e BST-1, produzido contra extrato glicolipidico de formas epimastigotas de T. cruzi. Como residuos de galactofuranose e galactofuranosidases nao sao expressos em mamiferos e, em contrapartida, sao importantes na sobrevivencia de fungos e parasitas, tem sido apontados como alvos para terapias de doencas transmitidas por estes organismos. O T. dionisii foi nosso alvo de estudo por ser uma especie pouco descrita na literatura, e pelo fato de em estudos anteriores (Oliveira et al., 2009), verificarmos que compartilha alguns eventos do ciclo de vida e do processo de invasao com T. cruzi, alem de apresentar comportamento e caracteristicas unicas que acreditamos precisarem ser exploradas
Palavra-chave Trypanosoma
Anticorpos monoclonais
Glicolipídeos
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 115 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 115 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23210

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta