Sofrimento mental como sentinela: possibilidades para a construção de um observatório das repercussões psicossociais na gestão municipal do trabalho no SUS

Sofrimento mental como sentinela: possibilidades para a construção de um observatório das repercussões psicossociais na gestão municipal do trabalho no SUS

Título alternativo Mental suffering as sentinel: possibilities for an observatory construction of the psychosocial repercussion in municipal management of work in the Unified Health System u SUS
Autor Coneglian, Rosana Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Junqueira , Virginia Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Saúde Coletiva – São Paulo
Resumo A crise continua do Estado e do seu papel tem como resposta, na maioria dos paises, reformas que incidem nos recursos dirigidos as politicas sociais. A Reforma de Estado no Brasil teve grandes repercussoes no ambito do Sistema Unico de Saúde, principalmente pela adocao de logicas privadas na gestao, repercutindo nos vinculos empregaticios e nas condicoes de trabalho e gerando processos de desgaste dos trabalhadores, que levam ao sofrimento mental. Fatores psicossociais sao reconhecidamente importantes tanto na causalidade como na prevencao de doencas psicossomaticas e na promocao da Saúde no trabalho. Este estudo descreve e analisa os tipos de afastamento dos trabalhadores do SUS em Guarulhos, por agravos diagnosticados como transtornos mentais, no ano de 2011, em cinco categorias profissionais e analisa as percepcoes de gestores, dirigentes sindicais e controle social sobre a vinculacao das condicoes de trabalho com a ocorrencia de sofrimento mental. Trata-se de um estudo de natureza quanti-qualitativa. O levantamento de dados extensivos dos afastamentos foram disponibilizados pelo Servico Especializado em Engenharia de Seguranca e em Medicina do Trabalho u SESMT e as percepcoes de figuras chaves foram apreendidas por meio de entrevistas semiestruturadas. Os resultados indicaram que, nao obstante o reconhecimento da relevancia do sofrimento mental por parte dos entrevistados, evidencia-se a fragilidade dos dispositivos de acompanhamento da Saúde dos trabalhadores e os obstaculos para que se realizem a democratizacao das relacoes de trabalho. Do total das ocorrencias, cerca de 85 % sao de menos de 15 dias. Os afastamentos dos auxiliares de enfermagem suplantam os de todas as outras categorias, sendo pouco mais da metade das ocorrencias (51, 2%). Em seguida, encontram-se os agentes comunitarios de Saúde e os atendentes SUS com maior numero de afastamentos. O numero mais elevado de afastamentos procede dos servicos de Atencao Basica, seguidos pela Atencao Hospitalar
Palavra-chave Licença Médica
Condições de Trabalho
Organização e Administração
Saúde do Trabalhador
50029
Impacto Psicossocial
Idioma Português
Financiador Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Data de publicação 2013
Publicado em CONEGLIAN, Rosana Cristina. Sofrimento mental como sentinela: possibilidades para a construção de um observatório das repercussões psicossociais na gestão municipal do trabalho no SUS. 2013. 153 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2013.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 152 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23208

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-14248.pdf
Tamanho: 1.597MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta