Efetividade da psicoterapia psicanalítica breve de grupo na melhoras da qualidade de vida, depressão, ansiedade e estratégias de enfrentamento em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico: Ensaio clínico controlado randomizado

Efetividade da psicoterapia psicanalítica breve de grupo na melhoras da qualidade de vida, depressão, ansiedade e estratégias de enfrentamento em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico: Ensaio clínico controlado randomizado

Autor Conceicao, Ceu Tristao Martins Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Sato, Emília Inoue Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Ciências da saúde aplicadas à reumatologia – São Paulo
Resumo Introdução: O lupus eritematoso sistemico (LES) e uma doenca autoimune, que afeta diversos orgaos e sistemas e acomete principalmente mulheres em idade fertil. A qualidade de vida dos pacientes com LES costuma ser insatisfatoria, pois alem do comprometimento organico, frequentemente os pacientes apresentam ansiedade e depressao e dificuldade no manejo da doenca. Alem disso, o suporte social e servicos de Saúde nem sempre sao adequados. Nao ha estudos realizados na America Latina avaliando os efeitos de psicoterapia em pacientes com LES. OBJETIVOS: Objetivo primario: Avaliar a efetividade da psicoterapia psicanalitica breve de grupo (PPBG) na melhora da qualidade de vida em pacientes com LES. Objetivos secundarios: Avaliar a efetividade da PPBG na melhora da depressao e ansiedade e nas estrategias de enfrentamento em pacientes com LES. MATERIAL E METODO: Ensaio clinico controlado e randomizado, registrado no clinicaltrial.gov (numero NCT01840709). Participaram 80 mulheres com LES, em seguimento ambulatorial no Hospital Universitario (HSP/EPM- UNIFESP), randomizadas em dois grupos: grupo controle (GC n=43) e grupo terapia (GT n=37). O GT foi dividido em quatro subgrupos, com maximo de 10 pacientes, para receber PPBG em sessoes semanais (90 minutos) por 20 semanas consecutivas, realizada por psicologa especializada. O GC permaneceu em fila de espera ate ao final do estudo. Ambos os grupos continuaram o tratamento clinico no ambulatorio. Todas as participantes foram avaliadas no inicio do estudo (T1) e apos 20 semanas (T2), usando questionarios autoaplicados, supervisionados por avaliador cego. Os questionarios e escalas usados foram: classificacao socioeconomica (criterio ABIPEME), lista de sintomas (SLE-SSC), qualidade de vida (SLEQOL), ansiedade e depressao (HAD) e estrategias de enfrentamento (Inventario de Coping). A avaliacao clinica foi realizada pelos medicos no ambulatorio quanto aos niveis de dano em LES (SLICC/ACR) e atividade da doenca (SLEDAI). Criterios de inclusao: sexo feminino; LES de acordo com os criterios de classificacao do ACR, idade &#8805; 18 anos, seguimento minimo de seis meses no ambulatorio e assinatura do termo de consentimento. Criterios de exclusao: pacientes analfabetas; comorbidades fisicas e mentais que comprometessem a participacao, pacientes em tratamento psicologico externo ou incluidas em outros estudos. O estudo foi aprovado pelo Comite de Etica em Pesquisa da UNIFESP (CEP Nº 1655/09). Analise estatistica: a analise foi por intencao de tratar, usando o programa SPSS (Versao 17). Foram realizadas comparacoes intra e intergrupos no GT e GC. Para as variaveis quantitativas, foi utilizado o teste t de Student para variaveis com distribuicao normal e os testes de Mann-Whitney e Wilcoxon para as com distribuicao nao normal. Para variaveis categoricas foi utilizado o teste Qui quadrado. Foi considerado significante valor de p<0,05 e extremamente significante p<0,001. RESULTADOS: Os grupos mostravam-se homogeneos em relacao as caracteristicas clinicas (SLEDAI e SLICC) e sociodemograficas (idade, escolaridade, classe socioeconomica, raca e religiao). Ambos os grupos eram semelhantes no inicio do estudo em relacao as demais variaveis estudadas (qualidade de vida, ansiedade, depressao e coping). No GT, ocorreu uma reducao acentuada dos sintomas avaliada pelo SLE-SSC no final do estudo (p intragrupo<0,001), acarretando diferenca significativa entre os grupos (p intergrupo=0,001). No SLEQOL, houve diferenca significativa com melhora em cinco dos seis dominios no GT ao final do estudo (p intragrupo<0,05); ocorreram diferencas significativas comparando-se os dois grupos nos seis dominios (p intergrupo<0,05) no T2. Ao final do estudo, no GT ocorreu uma reducao extremamente significativa de ansiedade e depressao avaliadas pelo HAD (p intragrupo<0,001, para ambos). Observaram-se tambem diferencas significativas entre os grupos em ambos os dominios: ansiedade (p intergrupo=0,019) e depressao (p intergrupo=0,022). No GT houve mudancas positivas significativas no uso das estrategias de enfrentamento em quatro dos oito dominios do Inventario de Coping apos a intervencao (p intragrupo<0,05). Nao foi observada alteracao significativa dos escores do SLEDAI no decorrer do estudo. CONCLUSAO: O estudo demonstrou a efetividade da PPBG na melhora da qualidade de vida, depressao e ansiedade em pacientes com LES e no uso de estrategias de enfrentamento mais adequadas para lidar com eventos estressores. A tecnica de BGPP pode ser uma ferramenta util para complementar o atendimento medico em pacientes com LES e melhorar o enfrentamento da doenca
Palavra-chave Lúpus Eritematoso Sistêmico
Qualidade de Vida
Psicoterapia
Depressão
Adaptação Psicológica
Adulto
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 98 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 98 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23170

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta