Abordagem da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes pela rede de instituições públicas que trabalham com menores de 18 anos no município de Embu/SP.

Abordagem da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes pela rede de instituições públicas que trabalham com menores de 18 anos no município de Embu/SP.

Título alternativo The approach to intrafamilial violence against children and adolescents by public sector institutions working with people under 18 in the municipality of Embu-São Paulo
Autor Barbour, Flavia Fusco Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bordin, Isabel Altenfelder Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Psiquiatria e psicologia médica – São Paulo
Resumo Introdução: O mapeamento de instituicoes da rede publica para verificar os recursos disponiveis em municipios brasileiros, para lidar com casos de violencia intrafamiliar contra criancas/adolescentes, e extremamente necessario para nortear acoes em politicas publicas. Objetivos: Mapear todas as instituicoes do municipio de Embu/SP que trabalham com criancas/adolescentes, a fim de verificar como atuam frente a violencia intrafamiliar contra criancas/adolescentes. Metodos: No periodo de junho/2006 a maio/2007, profissionais treinados entrevistaram coordenadores de todas as instituicoes da rede publica do municipio de Embu/SP que trabalhavam com criancas/adolescentes. Um questionario estruturado, desenvolvido pela equipe de pesquisa, abordou os seguintes topicos: identificacao de casos entre a clientela institucional nos ultimos 12 meses, inoperancia institucional (nao atendem e nem encaminham os casos identificados), existencia ou nao de profissional preferencial para atendimento dos casos (verificando sua profissao), receptividade institucional para receber sensibilizacao ou capacitacao e oferta de capacitacao aos funcionarios nos ultimos cinco anos. Resultados: Em 2006/2007, o municipio contava com 142 instituicoes trabalhando com criancas/adolescentes, estando estas distribuidas nos seguintes setores: Saúde (13,4%), Educacao (64,1%), Justica (0,7%), Social e Cidadania (17,6%), Seguranca (3,5%) e Conselhos de Direito (0,7%). A Saúde apresentou um alto indice de identificacao de casos nos ultimos 12 meses (89,5%), enquanto a Educacao apresentou o menor indice de identificacao (45,0%). Cerca de ¼ do total de instituicoes nao tiveram nenhuma conduta diante dos casos identificados, ou seja, nem atenderam e nem realizaram qualquer encaminhamento. As maiores taxas de existencia de profissional preferencial foram verificadas nos Setores Saúde (47,3%) e Social/Cidadania (44,0%). A taxa de receptividade para sensibilizacao/capacitacao entre as instituicoes que nao dispunham de profissional preferencial foi extremamente alta (≥90,0%) em todos os setores. Considerando todos os setores, os profissionais que apareceram em destaque como preferenciais para lidar com questoes relacionadas a violencia intrafamiliar contra criancas/adolescentes foram o psicologo e o assistente social. Metade de todas as instituicoes recebeu capacitacao nos ultimos cinco anos, com destaque para o Setor Saúde (68,4%). As instituicoes cujas equipes receberam capacitacao/sensibilizacao tiveram o dobro da probabilidade de ter um profissional preferencial para lidar com casos de violencia, na comparacao com as instituicoes que nao capacitaram seus profissionais (OR=2,2; IC 95%: 1,1-4,5; p=0,028). Conclusao: O reconhecimento das vitimas de violencia intrafamiliar entre as criancas e adolescentes atendidos nas diversas instituicoes ainda precisa alcancar niveis mais elevados. Ainda e alta a taxa de inoperancia das instituicoes, na medida em que muitos casos nao recebem o devido atendimento ou encaminhamento. A taxa de receptividade das instituicoes para capacitacao e alta entre aquelas que nao dispoem de profissional preferencial. A capacitacao favorece a existencia de profissional preferencial responsavel pelo atendimento dos casos
Palavra-chave Criança
Adolescente
Maus-Tratos Infantis
Setor Público
Saúde PUBLICA.
Idioma Português
Data de publicação 2014
Publicado em BARBOUR, Flavia Fusco. Abordagem da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes pela rede de instituições públicas que trabalham com menores de 18 anos no município de Embu/SP. 2014. 111 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2014.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 111 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23133

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-14350.pdf
Tamanho: 7.909MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta