Estudo da atividade de fragmentos da crotamina frente a modelos mimeticos de membrana

Estudo da atividade de fragmentos da crotamina frente a modelos mimeticos de membrana

Autor Pinheiro, Daniel de Ascencao Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Peptideos antimicrobianos (PAMs) sao parte fundamental de um sistema especializado de defesa presente em todos os organismos. A maioria dos PAMs tem acao contra varios tipos micro-organismos, demonstrada in vitro. Diferencas entre as celulas de mamiferos (eucariotos) e micro-organismos (procariotos), incluindo as diferencas na constituicao lipidica da membrana, poderiam potencialmente explicar a acao seletiva dos PAMs em micro-organismos. Entre os diversos mecanismos de acao propostos para os PAMs, a principal se refere a permeabilizacao de membrana, que podem ainda ser subdivididos entre: os formadores de poros e os nao formadores de poros. A crotamina e um PAM, isolada pela primeira vez na decada em 1950 a partir do veneno da cascavel. Este peptideo e composto por 42 residuos de aminoacidos, sua estrutura secundaria possui uma α-helice e duas folhas-β, alem de tres ligacoes de dissulfeto, que conferem uma estrutura terciaria estavel e uma caracteristica anfipatica para esta molecula. Esta caracteristica levou ao estudo e descricao de diversas atividades biologicas da crotamina, que incluem a capacidade de provocar espasmos em musculos esqueleticos, seu efeito em canais ionicos, alem da capacidade de penetrar celulas. Alem disto, a atividade antimicrobiana da crotamina tambem foi demonstrada, possibilitando verificar que a crotamina possui um espectro antibacteriano estreito e com atividade mais marcante contra fungos. Nesse trabalho propomos verificar as possiveis interacoes de derivados peptidicos da crotamina com sistemas mimeticos de membrana de procariotos (negativa) com vesiculas unilamelares grandes (LUVs). Dois peptideos (C1 e C2), contendo metade das cargas positivas da crotamina em cada um, foram sintetizados e testados em experimentos de vazamento de LUVs contendo grupamento fluorescente encapsulado, em testes de determinacao do tamanho hidrodinamicos de LUVs, e de determinacao potencial zeta e fluorescencia intrinseca do triptofano na presenca destas LUVs. A interacao dos peptideos com as membranas negativas foi observada, assim como o observado para a crotamina, porem o vazamento de CF causado pelos peptideos C1 e C2 nao foi significativo, comparado ao ja descrito para a crotamina. A partir dos experimentos realizados, podemos sugerir que C2 apresenta maior interacao com as membranas do que o peptideo C1, promovendo ainda a agregacao de LUVs
Palavra-chave Peptídeos Catiônicos Antimicrobianos
Lipossomos
Membranas
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 71 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 71 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23126

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta