Validação do aparelho de registro cardio-espiratório "Stardust" para diagnóstico da síndrome da apneia obstrutiva do sono em pacientes com: doença pulmonar obstrutiva crônica e obesidade

Validação do aparelho de registro cardio-espiratório "Stardust" para diagnóstico da síndrome da apneia obstrutiva do sono em pacientes com: doença pulmonar obstrutiva crônica e obesidade

Autor Oliveira, Marcia Goncalves Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bittencourt, Lia Rita Azeredo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Medicina (pneumologia) – São Paulo
Resumo A Monitorizacao portatil (MP) realizada no domicilio sem supervisao, tem sido uma alternativa a polissonografia (PSG) de noite inteira no laboratorio, para diagnostico de sindrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS). Em alguns paises desenvolvidos, a MP tem sido apontada como primeira escolha. No entanto, nao existem estudos validando o uso desses equipamentos em pacientes com comorbidades, especialmente em doencas como a Doenca Pulmonar Obstrutiva Cronica (DPOC) e a obesidade. O objetivo da presente tese foi avaliar a eficacia do MP-Stardust (STD) para diagnostico de SAOS em pacientes portadores de DPOC e Obesidade com suspeita dessa sindrome em comparacao a PSG. Foram selecionados pacientes com alta suspeita clinica para SAOS e com diagnostico de DPOC (populacao 1) e com Obesidade (populacao 2). A populacao de DPOC foi constituida de individuos estaveis clinicamente e sem alteracoes nas doses dos medicamentos inalatorios. Ambas as populacoes foram randomizadas para duas diferentes noites de registro: 1) em casa (STDCasa) 2) no Laboratorio com MP-Stardust (STDLab) e PSG, simultaneamente. Os registros da MP foram analisados pela pesquisadora e os da PSG por um tecnico cego sobre a ordem de realizacao e resultados de cada tipo de registro. A populacao de DPOC foi composta por 72 pacientes submetidos aos registros, sendo que 26 foram analisados e 46 voluntarios foram excluidos por falhas tecnicas. A media de idade foi 62,8 ± 8,5 (DP) anos, 50% eram homens e a media do volume expiratorio no primeiro segundo foi 55 ± 11%, a media do indice de Apneia ou hipopneia (IAH) foi 23,7 ± 18,1/h. Houve adequada correlacao intraclasse quando comparado IAH-PSG vs. IAH-STDLab (r=0,61, p<0,0001) e IAH-STDCasa (r=0,47, p<0,007). A analise de Kappa mostrou significante correlacao para casos graves (k=0,56). A populacao de obesos foi de 58 individuos, sendo 45% (26) excluidos por problemas tecnicos. A media de idade foi 42,9 ± 10,9 anos, e 56% eram do sexo feminino, a media do indice de massa corporal (IMC) foi 40,8 ± 5,2kg/m2, a media do IAH 46,9 ± 30,4/h. O coeficiente de correlacao intraclasse foi r=0,92(p=0,0001) ao comparar IAH-PSG vs. IAH-STDLab foi r=0,84 (p=0,0001) para IAH-PSG vs. IAH-STDCasa. O indice de Kappa foi 0,87 (p>0,0001) nos casos graves. Para as duas populacoes a sensibilidade e o valor preditivo positivo aumentam com a gravidade da SAOS. A analise de Bland-Altman mostrou razoavel concordancia entre os metodos investigados. O uso da MP, como metodo diagnostico para SAOS foi considerada neste estudo uma alternativa limitada para pacientes com DPOC e obesos grau II e III, com alta probabilidade clinica da doenca, devido ao grande numero de perdas de registros com esse aparelho. Para os pacientes com maior gravidade de SAOS e com registros simultaneos na mesma noite, os resultados mostraram boa concordancia da MP com a PSG
Palavra-chave Humanos
Idoso
Meia-Idade
Feminino
Masculino
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Obesidade
Apneia do Sono Tipo Obstrutiva
Polissonografia
Estudos de Validação
Monitorização Ambulatorial/normas
Polissonografia/normas
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/complicações
Apneia do Sono Tipo Obstrutiva/complicações
Apneia do Sono Tipo Obstrutiva/diagnóstico
Volume Expiratório Forçado
Monitorização Ambulatorial
Monitorização Ambulatorial/instrumentação
Monitorização Ambulatorial/métodos
Polissonografia/instrumentação
Polissonografia/métodos
Estudos Prospectivos
Reprodutibilidade dos Testes
Índice de Gravidade de Doença
Humanos
Idoso
Meia-Idade
Feminino
Masculino
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 110 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 110 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23122

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta