Função pulmonar em crianças de seis meses a um ano de idade corrigida, nascidas prematuras de muito baixo peso

Função pulmonar em crianças de seis meses a um ano de idade corrigida, nascidas prematuras de muito baixo peso

Título alternativo Lung function in children aged six months to one year of corrected age, born prematurely with very low birth weight
Autor Goncalves, Daniela de Melo Miranda Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Dos Santos, Amelia Miyashiro Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Pediatria e Ciências Aplicadas à Pediatria – São Paulo
Resumo Objetivos: Avaliar a funcao pulmonar e fatores associados a menores parametros de funcao pulmonar em lactentes de seis meses a um ano de idade corrigida, scidos prematuros de muito baixo peso. Metodos: Estudo transversal realizado apos assinatura do Termo de Consentimento e aprovacao do Comite de Etica da instituicao. Incluiram-se lactentes de 6 meses a um ano de idade corrigida, nascidos prematuros com peso <1500g. Excluiram-se criancas com alformacoes, doencas neuromusculares e doencas respiratorias agudas ha menos de 15 dias. Foram coletados dados sobre antecedentes neonatais, evolucao clinica neonatal e posneonatal, historia previa de sibilancia utilizando-se o questionario elaborado pelo Estudo Internacional sobre Prevalencia de Sibilancia Recorrente em Lactentes e provas de funcao pulmonar. Os volumes pulmonares foram avaliados por pletismografia de corpo total com o pletismografo de 90 litros e os fluxos expiratorios forcados pela tecnica de compressao toracica utilizando-se o equipamento Infant Pulmonary Lab (Collins-nSpire, EUA), apos sedacao com dose unica de 60 a 80 mg/kg de hidrato de cloral. Resultados: Foram estudados 51 lactentes de 8,2 ± 1,9 meses de idade corrigida, nascidos com 30,0 ± 2,5 semanas de gestacao e peso de 1179 ± 247g. Na unidade neonatal, 26 (51,0%) prematuros apresentaram sindrome de desconforto respiratorio, 28 (54,9%) apneia, 13 (25,5%) persistencia de canal arterial, 10 (19,6%) sepse precoce, 10 (19,6%) sepse tardia, 20 (39,2%) hemorragia peri-intraventricular, 14 (27,5%) dependencia de oxigenio com 28 dias de vida, 7 (13,7%) dependencia de oxigenio com 36 semanas de idade gestacional corrigida, 23 (45,1%) foram submetidos a ventilacao mecanica e o tempo de internacao foi em mediana 53 dias. Apos a alta da unidade neonatal, 25 (49,0%) prematuros apresentaram infeccoes de vias aereas superiores, 34 (66,7%) apresentaram pelo menos um episodio de siblilancia sendo 10 (19,6%) com sibilancia recorrentes, 18 (35,3%) bronquiolite, 9 (17,6%) pneumonia e 20 (39,2%) necessitaram de internacao hospitalar. Em relacao a fatores de risco para asma, 17 (33,3%) criancas apresentavam historia familiar de asma, 30 (58,8%) de rinite, 8 (15,7%) de dermatite atopica, 20 (39,2%) tinham animal de estimacao no domicilio, 23 (45,1%) eram expostos ao fumo domiciliar, 17 (33,3%) apresentavam mofo na casa e 3 (5,9%) frequentavam creches. Trinta (58,8%) criancas receberam leite materno ate um mes e 10 (19,6%) ate seis meses de idade. A porcentagem de lactentes que presentaram valores preditos <80% ou <-2 escores-z para os parametros avaliados foram: CPT (8,5%), VRE (14,3%), CRF (6,4%), VR (10,6%), VRE/CPT (10,6%), VC (11,8%), CVF (9,8%), VEF0,5 (11,8%), FEF50 (9,8%), FEF75 (7,8%), FEF85 (7,8%), FEF25-75 (11,8%), perfazendo 20 (39,2%) lactentes com funcao pulmonar alterada, sendo 15 (29,4%) de carater obstrutivo, 4 (7,8%) restritivo e 1 (2,0%) misto. Na regressao linear univariada, os fatores associados a menores escores de funcao pulmonar foram: dependencia de oxigenio com 28 dias para FEF25-75 (-0,651), com 36 semanas para FEF75 (-0,864), FEF85 (-0,692) e FEF25-75, (-0,961), ventilacao mecanica para FEF0,5/CVF (-1,099), FEF50 (-0,988), FEF75 (-0,543), FEF85 (-0,53) e FEF25-75 (-0,730). Na regressa linear multipla, associaram-se a menores parametros de funcao pulmonar: ser pequeno para a idade gestacional com escore-z de CVF (-1,005; p=0,007) e escore-z de VEF0,5 (-0,643; p=0,032); ter menor idade gestacional com escore-z de CVF (0,215; p=0,014) e % do valor previsto para CRF (-2,205; p=0,048), receber ventilacao mecanica para escore-z de VEF0,5 (-0,659; p=0,022) e escore-z de FEF25-75 (-0,602; p=0,030); e apresentar sibilos recorrentes para % do valor previsto para CRF (16,925; p=0,011). Conclusoes: Lactentes nascidos prematuros de muito baixo peso apresentaram alta prevalencia de funcao pulmonar alterada, sobretudo de carater obstrutivo. Os fatores associados a menores escores de funcao pulmonar foram: menor idade gestacional, pequeno para a idade gestacional e ventilacao mecanica
Palavra-chave Prematuro
Criança
Respiração Artificial
Displasia Broncopulmonar
Idioma Português
Data de publicação 2014
Publicado em GONÇALVES, Daniela de Melo Miranda. Função pulmonar em crianças de seis meses a um ano de idade corrigida, nascidas prematuras de muito baixo peso. 2014. 90 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2014.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 90 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23103

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-14344.pdf
Tamanho: 923.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta