Migração diagnóstica e remissão em transtornos alimentares: evolução de uma amostra clínica

Migração diagnóstica e remissão em transtornos alimentares: evolução de uma amostra clínica

Título alternativo Eating disorders diagnostic crossover and remission: evaluation of a clinical sample at follow-up
Autor Kaio, Glauber Higa Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Claudino, Angélica de Medeiros Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Psiquiatria e psicologia médica – São Paulo
Resumo Introdução: A migracao de um transtorno alimentar (TA) e um fenomeno observado com frequencia na pratica clinica, porem, estudos longitudinais de curso encontraram resultados divergentes. Nenhum estudo do tipo foi realizado em populacao latina. Objetivo: Examinar a evolucao de diagnosticos de TAs em amostra clinica tratada em servico especializado. Metodo: Individuos (n=101) que buscaram tratamento entre outubro/2006 e dezembro/2010 foram avaliados 2-3 anos (grupo 1; n=64) ou 4-5 anos (grupo 2; n=37) apos. Informacoes clinicas, sociodemograficas e de psicopatologia alimentar para a obtencao do diagnostico de TAs com base no DSM-IV-TR foram coletadas na visita de seguimento. A migracao diagnostica, remissao ou manutencao do TA foi analisada com relacao a mudancas ocorridas entre o diagnostico de entrada no tratamento e a entrevista de seguimento, e desde o inicio do TA e a entrevista de seguimento. Resultados: Considerando-se as duas analises realizadas, encontramos resultados semelhantes para migracao (42-45%), manutencao (aproximadamente 26%) e remissao diagnostica (cerca de 30%) nos TAs como um todo e para todo o periodo de seguimento. A maior taxa de migracao diagnostica nos individuos com anorexia nervosa (AN), bulimia nervosa (BN) e transtorno da compulsao alimentar periodica (TCAP) foi para o diagnostico transtorno alimentar sem outra especificacao (TASOE) (45% por categoria). A remissao diagnostica foi maior em individuos com AN u superior a da BN (52,38% vs 13,51%; p=0.001) u seguida por TASOE, tambem superior a da BN (42,85% vs 13,51%; p=0.001), ambas com relacao ao diagnostico de entrada no servico. Discussao: A migracao de diagnosticos de TAs foi alta considerando-se todas as categorias diagnosticas e todo o periodo de evolucao, porem, amigracao entre as sindromes completas foi relativamente baixa e a maior parte das migracoes se deu para TASOE (sindrome parcial). Observamos boa evolucao na AN, resultados menos favoraveis para BN e intermediarios para TCAP e TASOE. Os achados sugerem padroes de evolucao distintos entre as principais categorias de TAs. Conclusao: Com base nas diferencas de curso clinico encontradas, nossos achados apoiam a distincao entre AN, BN e TCAP, considerando-se criterios diagnosticos do DSM-IV-TR
Assunto Transtornos da Alimentação/classificação
Transtornos da Alimentação/diagnóstico
Evolução Clínica
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Data 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 115 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 115 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23096

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)