Efeito do estiramento nas celulas mesenquimais de tecido adiposo humano

Efeito do estiramento nas celulas mesenquimais de tecido adiposo humano

Título alternativo Mechanical stretch effect on human adipose tissue mesenchymal stem cell: phenotypic and molecular changes
Autor Silva, Thais Girao Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O implante de celulas-tronco adultas com o proposito de reparo cardiaco e uma abordagem cujo potencial terapeutico vem sendo amplamente investigado, principalmente apos infarto agudo do miocardio. Existem evidencias de que esta estrategia traz beneficios na funcao cardiaca, especialmente em modelos pre-clinicos, mas os mecanismos de acao ainda sao desconhecidos. Quando injetadas no musculo cardiaco, as celulas-tronco sao submetidas a um nicho especifico, com componentes quimicos e fisicos que deverao influenciar no seu comportamento e na funcao terapeutica. No presente trabalho testamos a hipotese de que o estiramento mecanico per se influenciasse o fenotipo das celulas mesenquimais de tecido adiposo humano (hASC) para que elas exercam suas acoes beneficas na reparacao cardiaca. O estimulo mecanico isolado, por ate 96 horas, nao produziu alteracoes de fenotipo morfologico ou funcional que as tornassem semelhantes a celulas da parede vascular ou de cardiomiocitos, ou seja, nao houve inducao da expressao genica e proteica de marcadores de celulas endoteliais (FLK-1, CD31 e vWF) e de cardiomiocitos (troponina I, α-actina sarcomerica, GATA-4 e MEF2C). A expressao genica dos marcadores de celula muscular lisa ja e encontrada nas hASCs e tambem nao foi induzida pelo estresse mecanico (hACTA2, SM22, calponina, SMMHC). Os co-fatores de diferenciacao miogenica analisados (miocardina, MKL1 e MKL2) nao demonstraram alteracao de expressao, bem como o perfil imunofenotipico de celula indiferenciada nao foi modificado (CD29/CD90 por citometria de fluxo). Nao obtivemos evidencia do potencial das celulas como fonte de fatores de crescimento, quando expostas a deformacao controlada isoladamente, e por ensaio de ELISA, nao foi possivel detectar no sobrenadante as citocinas IL-1β, IL-1RA e TGFβ. Verificamos secrecao basal de NO e VEGF pelas hASCs, entretanto a liberacao destes fatores nao foi afetada pelo estiramento. A avaliacao do potencial contratil das celulas em gel de colageno tambem nao foi influenciada pelo estiramento. Entretanto, apenas o cultivo das hASCs em membrana de silicone com colageno tipo I ja aumentou seu potencial de contracao em relacao as celulas cultivadas em placas de plastico sem adicao de matriz. Em conjunto, a nossa analise sistematica mostrou que o estiramento per se das hASCs, por ate 96 horas, nao e capaz de induzir as alteracoes de fenotipo morfologico e funcional consistentes com o seu papel benefico na reparacao cardiaca. Ate mesmo a producao de NO e VEGF pelas hASCs, dois fatores candidatos como agentes reparadores, nao foi modificada pelo estimulo mecanico. Finalmente, sera importante determinar se a influencia do estiramento celular, que e essencial na determinacao dos fenotipos celulares de componentes do sistema cardiovascular, depende tambem do ambiente quimico especifico como o que ocorre na hipoxia tecidual
Palavra-chave Células-Tronco
Terapia Baseada em Transplante de Células e Tecidos
Diferenciação Celular
Idioma Português
Data de publicação 2009
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2009. 108 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 108 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23085

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta