Prevalência e gravidade da sibilância no primeiro ano de vida na região centro-sul de São Paulo-SP.

Prevalência e gravidade da sibilância no primeiro ano de vida na região centro-sul de São Paulo-SP.

Título alternativo Prevalence and severity of wheezing in the first year of live in the city of São PaulouSP
Autor Aranda, Carolina Sanchez Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Amâncio, Olga Maria Silvério Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Pediatria e ciências aplicadas à pediatria – São Paulo
Resumo Objetivos: Avaliar a prevalencia e a gravidade da sibilancia e identificar os fatores a ela associados, em lactentes, no primeiro ano de vida, residentes na regiao centro-sul da cidade de São Paulo no periodo de 2009-10, utilizando o protocolo padronizado do oEstudio Internacional de Sibilancias en Lactanteso (EISL) u fase 3 e comparar os valores obtidos com os observados no EISL u fase 1, realizado no mesmo centro. Metodos: Pais de lactentes que procuraram unidades basicas de Saúde da regiao centro-sul de São Paulo, entre 2009 e 2010, responderam o questionario escrito do EISL (QE-EISL-F3). Os lactentes foram separados em sibilantes e onao sibilanteso. Os sibilantes foram divididos em grupos de acordo com a frequencia dos episodios de sibilancia: sibilancia ocasional (SO) quando apresentaram menos de tres episodios e sibilancia recorrente (SR) quando manifestaram tres ou mais episodios. Na dependencia das variaveis analisadas, foram empregados testes parametricos ou nao parametricos para a analise estatistica. Fatores associados a sibilancia foram avaliados por de analise multivariada e expressos como odds ratio (OR) e intervalo de confianca de 95% (IC95%). Resultados: A prevalencia de sibilantes foi 44,6%, similar a observada na fase 1 (46%; p=0,5). Quando avaliada segundo a frequencia, houve um aumento em relacao a SO (19,4% versus 23%; p=0,037) e reducao na SR (26,7% versus 21,6%; p=0,005). Os fatores mais relevantes associados a SO foram apresentar pneumonia (OR=3,10; IC95%=1,68-5,73), ser hospitalizado por pneumonia (OR=2,88; IC95%=1,26-6,56) e ter infeccoes de vias aereas superiores (IVAS) frequentes (OR=1,87; IC95%=1,25-2,81). Em relacao a SR, IVAS frequentes (OR=5,34; IC95%=3,83-7,45), pneumonia (OR=4,06; IC95%=2,87-5,74) e ter irmaos asmaticos (OR=3,02; IC95%=1,67-5,45) foram os mais expressivos. Conclusoes: A prevalencia da sibilancia no primeiro ano de vida na regiao centro-sul da cidade de São Paulo permanece elevada, de inicio precoce e com alta morbidade. Os fatores associados a SR foram presenca de IVAS frequentes, historia de pneumonia e historia familiar de asma. O conhecimento da prevalencia e dos fatores associados a sibilancia tem como objetivo, identificar possiveis asmaticos entre os lactentes, melhorando as estrategias de prevencao e aperfeicoando o tratamento desses pacientes
Palavra-chave Humanos
Lactentes
Sons Respiratórios
Asma
Fatores de Risco
Lactente
Prevalência
Humanos
Lactentes
Idioma Português
Data de publicação 2014
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2014. 128 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 128 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23066

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta