Espermatogênese in vitro: desenvolvimento de um modelo e avaliação do papel da relaxina

Espermatogênese in vitro: desenvolvimento de um modelo e avaliação do papel da relaxina

Título alternativo Exploring relaxin role in a novel coculture model of spermatogenesis
Autor Pimenta, Maristela Taliari Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Lazari, Maria de Fatima Magalhaes Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Farmacologia – São Paulo
Resumo O papel de relaxina na reproducao masculina ainda e incerto. O knockout para relaxina em machos diminui a maturacao espermatica e estudos de nosso laboratorio mostraram que relaxina e seu receptor RXFP1 sao expressos em celulas de Sertoli de rato e relaxina promove a proliferacao das celulas de Sertoli em cultura, o que pode afetar a espermatogenese indiretamente. Relaxina tambem poderia afetar a espermatogenese diretamente, ao interagir com seu receptor RXFP1 detectado em espermatides alongadas. Para investigar o papel de relaxina na espermatogenese, desenvolvemos uma cocultura de celulas extraidas de testiculos de ratos de 7 dias de idade, que apresentam, como celulas germinativas, somente celulas tronco espermatogoniais (SSCs) e espermatogonias indiferenciadas. As celulas foram cultivadas em Matrigel, previamente tratado para remover componentes difusiveis que afetam a diferenciacao de celulas germinativas. Apos cultivo por 48h, na ausencia ou presenca de 0,5% de soro fetal bovino (FBS) ou relaxina humana H2 100 ng/mL (RLN), as celulas foram mantidas, por 24h, em meio livre de suplemento e cultivadas, por 48 ou 120h adicionais, na ausencia de suplementacao. A diferenciacao das celulas germinativas foi analisada por imunocitoquimica, imunofluorescencia e citometria de fluxo, apos 2, 5 ou 8 dias (D2, D5 e D8). A razao entre celulas germinativas e somaticas (G/S) caiu drasticamente de D2 para D5, e esta queda nao foi afetada por FBS, mas foi parcialmente impedida por RLN, que preservou a proporcao de celulas germinativas, especialmente das populacoes 2C e 4C (espermatogonias e espermatocitos). Alem disso, RLN aumentou a proporcao de celulas somaticas 4C. A expressao genica e proteica dos seguintes marcadores de diferentes estagios da espermatogenese foi analisada por PCR quantitativo ou citometria de fluxo: Plzf (espermatogonias indiferenciadas), c-kit (espermatogonias diferenciadas), Sycp3 (celulas em meiose) e Odf2 (celulas pos-meioticas). Em D5, RLN aumentou significativamente a expressao genica de c-Kit e Odf2 e a proteica de PLZF e c-KIT. RLN aumentou o numero de celulas ODF2-positivas, na imunocitoquimica. Alem disso, relaxina favoreceu a organizacao das celulas testiculares em estruturas semelhantes a tubulos, aumentou o numero de celulas mioides e sua organizacao ao redor dos tubulos, e aumentou a expressao de caderina 2 e β-catenina, que participam de juncoes celula-celula. O silenciamento da relaxina endogena com siRNA impediu a organizacao das celulas testiculares em cultura e alterou o balanco entre autorrenovacao e diferenciacao das celulas germinativas. Estes achados sugerem que a relaxina pode desempenhar um papel na espermatogenese, por aumentar o numero de celulas germinativas pre e pos-meioticas, e favorecer a organizacao das celulas testiculares
Palavra-chave Animais
Relaxina
Espermatogênese
Diferenciação celular
Infertilidade masculina
Testículo
Ratos Wistar
Técnicas In vitro
Idioma Português
Financiador Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Número do financiamento FAPESP: 2010/10341-1
Data de publicação 2014
Publicado em PIMENTA, Maristela Taliari. Espermatogênese in vitro: desenvolvimento de um modelo e avaliação do papel da relaxina. 2014. 140 f. Tese (Doutorado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2014.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 140 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23060

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-14302.pdf
Tamanho: 4.381MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta