Determinação da prevalência de resistência genotípica e da diversidade genética em casos de infecção recente de Itajaí pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1 em Itajaí-SC

Determinação da prevalência de resistência genotípica e da diversidade genética em casos de infecção recente de Itajaí pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1 em Itajaí-SC

Título alternativo Determination the prevalence of genotypic resistance and genetic diversity in cases of recent infection of Itajaí-SC
Autor Grinberg, Gorki Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Diaz, Ricardo Sobhie Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O mapeamento de centros com alta incidencia e mortalidade por aids e de extrema importancia para acoes pontuais de prevencao e terapeutica. No nosso estudo realizamos a investigacao de 1075 casos novos de infeccao HIV-1 provenientes do centro de testagem anonima (CTA) do municipio de Itajai-SC no periodo de janeiro de 2002 a agosto de 2008. Analisamos num primeiro momento dados demograficos e epidemiologicos que nos mostraram uma epidemia que segue os padroes mundiais e nacionais que sao a heterossexualizacao e feminizacao; seguido pelo estudo de determinacao de infeccoes recentes e estabelecidas na amostra total estudada atraves Teste de determinacao de infeccao recente usando o AWAREO BEDO EIA TEST, que e um imunoensaio especifico para classe IgG de anticorpos de HIV-1. Apos a classificacoes das infeccoes realizamos tecnicas laboratoriais de biologia molecular para determinacao de subtipos predominantes e presenca de resistencia transmitida nas amostras de material biologico dos grupos caso e controle, formados a partir da populacao total. Nos resultados encontramos a prevalencia de 17% de infeccoes recentes e 83% de infeccoes estabelecidas no total da amostra, presenca de 71% de subtipo C como responsavel pelas infeccoes HIV-1, seguido de 24% pelo subtipo B, 2% pelo subtipo D e 2% pelo subtipo F1 no grupo caso, o qual foi formado por amostras de infeccao recente; presenca de 76% de subtipo C, seguido de 24% pelo subtipo B no grupo controle, formado por amostras de infeccao estabelecida. Encontramos presenca de resistencia aos antirretrovirais em 18,4% no grupo caso, sendo 7,8% aos inibidores de transcriptase reversa nucleosideos (ITRN); 5,2% aos inibidores de transcriptase reversa nao nucleosideos (ITRNN) e 5,2% aos inibidores de protease (IP). No grupo controle encontramos 5,2% de resistencia aos ITRN. Os resultados encontrados nos indicam que ha necessidade de melhoria nas acoes de intervencao nas populacoes vulneraveis que encontramos atraves dos estudos dos dados demograficos e epidemiologicos coletados, com especial atencao a populacao que esta se contaminando atraves de relacoes sexuais que e epidemiologia predominante; a epidemia local e causada principalmente pelo subtipo C do HIV-1, seguido pelo subtipo B, assemelhando-se com o que ocorre na regiao sul do pais; a prevalencia de 18% de resistencia transmitida nos casos de infeccao recente classifica o cenario como de alta prevalencia de resistencia transmitida de acordo com a Organizacao Mundial da Saúde, trazendo a tona a discussao sobre a necessidade de estudos genotipicos pre-tratamento
Palavra-chave Humanos
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
Infecções por HIV
Infecções por HIV/epidemiologia
HIV-1
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 108 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 108 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23032

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta