Efetividade do Programa da Saúde da Familia no controle da hipertensao arterial no municipio de Petropolis

Efetividade do Programa da Saúde da Familia no controle da hipertensao arterial no municipio de Petropolis

Título alternativo Effectiveness of the Familiy Health Program in the control of blood pressure in hipertensive patients
Autor Martins, Telma Lima Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: A Hipertensao Arterial (HA) e um problema de Saúde publica por sua elevada prevalencia e por se base patogenica para Doenca Cardiovascular. Esforcos vem sendo implementados na area de atencao Basica para o seu adequado controle. O Programa de Saúde da Familia tem o objetivo de promover qualidade de vida bem como intervir sobre os fatores que possam coloca-la em risco. Nenhum trabalho foi publicado no sentido de avaliar a efetividade do controle da pressao arterial nas Unidades de Saúde da Familia. Objetivo: verificar a efetividade do controle da HA em pacientes acompanhados nas Unidades de Saúde da Familia (USF), comparando com os paciente acompanhados nas Unidades Basicas de Saúde(UBS) do Municipio de Petropolis, RJ. Metodos: Estudo transversal analitico com 500 pacientes com diagnostico de Hipertensao Arterial, divididos em dois grupos de 250 pacientes em acompanhamento em duas USF e duas UBS. O diagnostico de HA foi feito de acordo com os criterios do IV Consenso Brasileiro de Hipertensao com os pacientes em acompanhamento por no minimo 12 (doze) meses. Foram considerados controlados os pacientes que apresentaram niveis pressoricos inferiores a 140/90mmHg na ultima consulta. Resultados: A proporcao de HA foi de 31,1% (78) para o sexo masculino e de 68,8% (172) para o feminino na USF e de 32,0% (80) para o sexo masculino e de 68,0% (170) para o feminino na UBS (p=0,923). O controle da pressao arterial foi de 29,2% (73) nas USF e de 39,2% (98) nas UBS OR = 0,64 (IC 95%: 0,44 u 0,93), p=0,024. Os pacientes controlados tiveram media de 4,1 (+ 2,7) consultas medicas nas USF e de 3,0 (+1,4) nas UBS com p=0,011 e media de 1,6 (+1,9) consultas de enfermagem alem de terem participado 0,4 vezes em media (+1,2), das atividades de grupo nas USF. A monoterapia nesses pacientes foi utilizada em 46,5% (34) nas USF e em 40,8% nas UBS. Nesse grupo duas drogas foram usadas em 43,8% (32) nas USF e em 54,0% (53) nas UBS, enquanto o uso de mais de duas drogas foi de 9,5% (7) nas USF e 5,1% nas UBS, p = 0,945. A droga mais usada em monoterapia para esses pacientes foi o IECA em 55,8% (19) nas USF e em 72,5% (29) nas UBS. A associacao de duas drogas mais usada em ambas as Unidades nos pacientes com controle da pressao arterial foi IECA com Diuretico, 65,6% (21) nas USF e 33,9% (18) nas UBS. Conclusao: A efetividade do controle da pressao arterial nas USF foi de 29%. Foi observada uma proporcao significativamente maior de pacientes com pressao arterial classificada como controlada no grupo de pacientes acompanhados nas UBS
Palavra-chave Estratégia Saúde da Família
Efetividade
Educação em Saúde
Saúde Pública
Hipertensão
Hipertensão/prevenção & controle
Hipertensão/terapia
Estudo Comparativo
Idioma Português
Data de publicação 2008
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2008. 93 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 93 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23000

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta