Úlcera por pressão em crianças e adolescentes hospitalizados: prevalência, incidência e perfil epidemiológico

Úlcera por pressão em crianças e adolescentes hospitalizados: prevalência, incidência e perfil epidemiológico

Título alternativo Pressure ulcers in hospitalized children and adolescents: prevalence, incidence and epidemiological profile
Autor Pellegrino, Donata Maria de Souza Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Cirurgia translacional - São Paulo
Resumo Introdução. A escassez nacional de dados epidemiologicos da ulcera por pressao (UP) em pediatria dificulta sua prevencao e controle. Objetivo: Identificar a prevalencia e a incidencia da UP em criancas e adolescentes hospitalizados e o perfil epidemiologico. Metodos: Estudo observacional, descritivo, exploratorio, transversal e de coorte prospectiva para incidencia, realizado nas unidades pediatricas de tres hospitais do municipio de São Paulo. Foram incluidos no estudo 543 pacientes internados com idade &#8805; 30 dias e < 18 anos, todos submetidos a inspecao direta da pele e levantamento de dados socio demograficos e clinicos. A prevalencia de UP foi observada em dois momentos, agosto/2011 e novembro/2012. A incidencia cumulativa foi observada durante 3 meses nos pacientes sem UP pre-existente, que apresentaram risco para UP (Escala de Braden Q). Foi utilizada estatistica descritiva e inferencial para analise dos dados obtidos. Resultados. A media de idade dos pacientes com UP foi 5,23 anos (DP = 5,0). A presenca de UP foi associada (p < 0,05) a ausencia de acompanhante, doenca cronica, incontinencia anal, internacao > 30 dias, uso de medicacao vasomotora, anti-hipertensiva, ventilacao mecanica e dieta parenteral/enteral. A UP foi mais prevalente na unidade de terapia intensiva pediatrica e mais incidente na semi-intensiva. A prevalencia de UP media foi de 7,1 % (5,3 % e 8,9 %) e a incidencia cumulativa de 21,8 %. As UPs estavam localizadas com maior frequencia em calcaneos (n = 19), orelhas (n = 17), maleolos (n = 17), vertebras (n = 17), sacro (n = 13) e regiao occipito/temporal (n = 9), sendo 55 % em estagio I. Conclusao. A prevalencia media de UP em criancas e adolescentes foi de 7,1 % e a incidencia cumulativa de 21,8 %. As UPs predominaram em pacientes criticos e doentes cronicos, a maioria no estagio I

Background. In Brazil, the shortage of epidemiological data on PUs in children makes prevention and control difficult. Objective: To identify the incidence and prevalence of PUs in hospitalized children and adolescents, and the epidemiological profile. Methods: Observational, descriptive, exploratory cross-sectional (prevalence) and prospective cohort study of incidence conducted in pediatric units of three hospitals in the city of São Paulo. A total of 543 hospitalized children (30 days to 18 years of age) were included in the study. Prevalence and incidence of PUs were calculated. Patients were examined by direct skin inspection at two time points (August 2011 and November 2012). A 3-month cumulative incidence was calculated. Results: The mean age of children with PUs was 5.23 years (SD = 5.0). Significant associations (p < 0.05) were found between presence of PUs and absence of a companion, chronic disease, use of medication for vasomotor symptoms, antihypertensive medication, sedation, mechanical ventilation combined with anal incontinence, hospital stay >30 days, and parenteral or enteral nutrition. PUs were most prevalent in pediatric intensive care units and most incident in semi-intensive units. The mean prevalence of PUs was 7.1% (range, 5.3%-8.9%) and the cumulative incidence was 21.8%. The most common anatomic regions for PUs were the heels (n = 19), ears (n = 17), ankles (n = 15), vertebrae (n = 17), sacral region (n = 13) and occipital-temporal region (n = 9), with 55% of cases being Stage I. Conclusion: The mean prevalence of PUs in children and adolescents was 7.1% and the cumulative incidence was 21.8%. Patients in all units developed PUs, which were most common in those critically ill, with chronic diseases, mainly caused by immobility or medical devices, usually located in anatomic regions similar to those of adults, and predominantly classified as Stage I.
Palavra-chave Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Úlcera por Pressão
Úlcera por Pressão/epidemiologia
Incidência
Prevalência
Criança Hospitalizada
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em PELLEGRINO, Donata Maria de Souza. Úlcera por pressão em crianças e adolescentes hospitalizados: prevalência, incidência e perfil epidemiológico. 2013. 173 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2013.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 173 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22983

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-22983.pdf
Tamanho: 2.536MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta