Peptídeos derivados de socs-1, resposta imune e proteção contra o melanoma murino b16f10-nex2

Peptídeos derivados de socs-1, resposta imune e proteção contra o melanoma murino b16f10-nex2

Título alternativo SOCS-1 derived peptides, immune response and protection against murine melanoma B16F10-Nex2
Autor Scutti, Jorge Augusto Borin Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Travassos, Luiz Rodolpho Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O melanoma maligno e o tipo mais agressivo de cancer de pele. Embora a incidencia da doenca venha crescendo desde 1960, as abordagens terapeuticas disponiveis ainda sao incapazes de impedir o alto indice de mortalidade. Novas modalidades de tratamento e novas moleculas alvos sao constantemente pesquisadas visando o controle da forma metastatica e letal da neoplasia. Tendo em vista a resposta eventual do melanoma a estimulacao adequada do sistema imune, tentativas tem sido feitas para a geracao de uma imunoterapia antitumoral consistente. Dependendo da especificidade da resposta imune efetiva, seria possivel uma reducao das doses de citocinas e quimioterapicos que produzem efeitos colaterais indesejados. Nesse trabalho, mostramos que peptideos derivados de uma proteina intracelular, SOCS-1 (Supressor of cytokine signaling-1) que regula a via de sinalizacao JAK/STAT, sao capazes de induzir uma resposta sistemica e protetora contra o melanoma murino B16F10-Nex2 utilizando protocolos de imunizacao profilatico e terapeutico. O efeito protetor dependeu de uma resposta imune eficiente caracterizada pela inducao de citocinas pro-inflamatorias tais como IFN-γ, IL-6 e TNF-α bem como de linfocitos T CD4+ e T CD8+ tumor especificos. A resposta imune induzida pelos peptideos derivados de SOCS-1 foi protetora e de memoria, pois o redesafio de animais tratados com celulas tumorais, foi contido, havendo inclusive significante sobrevida de animais imunizados com os peptideos. Desta forma, os peptideos derivados de SOCS-1 podem se tornar importantes candidatos a imunoterapia do melanoma. O mais ativo deles, o P5, mostrou-se protetor contra o melanoma metastatico (colonizacao pulmonar), inibiu tumor subcutaneo ja crescido (200 mm3), e elevou a sobrevida de animais desafiados com celulas de melanoma para 60-70%. Sua atividade protetora deveu-se a um efeito adjuvante de celulas dendriticas e a inducao de uma eficiente resposta efetora representada principalmente por linfocitos T-CD8+.
Palavra-chave Melanoma experimental
Peptídeos
Vacinas anticâncer
Células dendríticas
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 146 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 146 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22953

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta