Avaliação cognitiva em uma amostra brasileira de pacientes com tremor essencial

Avaliação cognitiva em uma amostra brasileira de pacientes com tremor essencial

Autor Medeiros, Leonardo Mariano Inacio Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Borges, Vanderci Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Neurologia/Neurociências - São Paulo
Resumo Introdução: O tremor essencial (TE) foi considerado durante um longo tempo como um transtorno monossintomatico, cujo unico sintoma era o proprio tremor. Com o surgimento de novas tecnicas radiologicas e estudos anatomopatologicos, foram verificadas alteracoes sutis em conexoes do cerebelo com estruturas corticais, despertando o interesse para sintomas nao motores da doenca, como por exemplo, aspectos cognitivos. Objetivo: O objetivo deste trabalho e descrever e comparar pacientes com diagnostico de Tremor Essencial com grupos controles (familiares e nao familiares sem tremor), segundo caracteristicas socio demograficas, diagnostico de comorbidades, ocorrencia de transtorno de humor, ansiedade e funcoes cognitivas (atencao, memoria e funcao executiva), alem de identificar a correlacao entre os escores dos testes cognitivos com tempo e a gravidade da doenca. Metodo: Os participantes foram submetidos a escala de Fahn, Tolosa e Marin para avaliacao da intensidade do tremor, a uma bateria aneuropsicologica (MoCA teste, Prancha de Pegboard, Digit Span, Tarefa de Brown-Peterson, Fluencia Verbal e teste de similaridades) para avaliacao cognitiva e a um questionario para deteccao de transtorno de humor e ansiedade. Resultados: Foram incluidos no estudo 44 pacientes com TE, 39 controles nao familiares e 20 familiares. Houve diferenca significativa nas variaveis sexo e idade em relacao aos grupos: no grupo controle nao-familiares o numero de mulheres foi maior e no grupo controle formado por familiares os voluntarios eram mais jovens. Em relacao aos testes neuropsicologicos, encontramos diferenca estatistica apenas na Prancha de Pegboard (p<0.001), denotando pior destreza manual, coordenacao e atencao nos pacientes com TE. Alem disso, percebemos uma correlacao entre um pior resultado nos testes cognitivos e a intensidade da doenca. O mesmo achado nao foi observado em relacao ao tempo de doenca. Finalmente, encontramos diferencas significativas em alguns testes cognitivos separando os pacientes quanto a presenca de sintomas depressivos ou ansiosos, assim como, pior destreza manual e cognicao naqueles que usavam primidona para tratamento do tremor. Conclusoes: Os resultados deste trabalho sugerem que pacientes com TE apresentem alteracao na destreza manual e atencao. Nos pacientes com maior gravidade houve pior desempenho nos testes cognitivos. Finalmente, nos pacientes com sintomas depressivos e ansiosos, assim como naqueles em uso de primidona, sintomas cognitivos e pior destreza manual foram mais comuns.
Palavra-chave Tremor Essencial
Cognição
Depressão
Ansiedade
Destreza Motora
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 59 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 59 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22926

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta