Discinesia escapular visuall: alterações na cinemática da escápula e atividade muscular em pacientes com síndrome do impacto

Discinesia escapular visuall: alterações na cinemática da escápula e atividade muscular em pacientes com síndrome do impacto

Título alternativo Visual scapular dyskinesis: scapular kinematics and muscle activity alterations in patients with impingement syndrome
Autor Lopes, Andréa Diniz Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ciconelli, Rozana Mesquita Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: Determinar a cinematica e atividade muscular escapular em pacientes com Sindrome do Impacto (SI) com e sem discinesia escapular visualmente identificada atraves do Teste da Discinesia Escapular (TDE). Metodos: Estudo observacional transversal realizado na Virginia Commonwealth University no periodo de Julho a Dezembro de 2011. O estudo foi aprovado pelo comite de etica em pesquisa local e da Universidade Federal de São Paulo. Trinta e oito participantes com diagnostido de SI foram incluidos no estudo. O movimento escapular foi classificado visualmente atraves do TDE como discinesia escapular obvia (DISC, n = 19) ou sem discinesia escapular (NAO DISC, n = 19). O estado de Saúde foi medido atraves dos questionarios Penn Shoulder Score (PSS) e Western Ontario Rotator Cuff Index (WORC). Um sistema de captura de movimento eletromagnetico foi utilizado para avaliar a cinematica tridimensional do torax, umero e escapula e eletromiografia de superficie (sEMG) para medir a atividade muscular do trapezio superior, medio e inferior, serratil anterior e infra-espinal durante 5 repeticoes consecutivas de flexao do ombro bilateral, ativa, resistida nas fases de subida e descida. As diferencas entre os grupos nas pontuacoes do PSS e WORC foram testadas atraves do teste-t. Modelos mistos ANOVAs foram utilizados para testar o fator grupo e o fator repetido em 4 angulos de elevacao do braco (30°, 60°, 90° e 120°) para cinematica e 3 intervalos de elevacao (30°-60°, 60°-90° e 90°-120°) para sEMG. Resultados: O grupo DISC relatou piora do estado de Saúde atraves da reducao de 9,1 pontos e 13,7 pontos (0-100 pontos) nos questionarios PSS e WORC, respectivamente, diminuicao da rotacao lateral da escapula de 2,1° e 2,5° durante as fases de subida e descida, respectivamente, e aumento da atividade muscular de 12% da contracao isometrica voluntaria maxima (CIVM) do trapezio superior durante a subida no intervalo de 30°-60° de flexao do ombro. Conclusoes: Pacientes com SI e discinesia escapular obvia identificada visualmente apresentaram alteracoes na rotacao lateral da escapula e na atividade do musculo trapezio superior. Esses deficits podem, em parte, contribuir para a reducao da funcao do ombro e da qualidade de vida relacionada a Saúde. Estudos futuros deverao determinar se a correcao desses deficits aboliria a discinesia escapular e melhoraria o estado de Saúde relatado pelos pacientes. Palavras-chaves: ombro, escapula, sindrome de colisao do ombro, biomecanica, eletromiografia
Palavra-chave Ombro
Escápula
Síndrome de colisão do ombro
Fenômenos biomecânicos
Eletromiografia
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 104 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 104 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22918

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta