Retransplante de fígado: validação externa de um modelo matemático preditivo de sobrevida

Retransplante de fígado: validação externa de um modelo matemático preditivo de sobrevida

Título alternativo Liver retransplantation: external validation of a mathematic predictive survival model
Autor Mattos, Rogerio Obregon de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Linhares, Marcelo Moura Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: A necessidade de transplante de figado nos diversos paises tem suplantado e muito a oferta de enxertos. Em geral, a sobrevida dos doentes RETX e dos enxertos e menor em relacao ao TX primario. Portanto, e de grande importancia determinar, no periodo pre-operatorio, quais doentes teriam uma melhor sobrevida no RETX, evitando, desta maneira, o RETX oinutilo e aumentando os beneficios de um recurso escasso. Em um estudo previo, Linhares et al. (2006) desenvolveram um modelo matematico preditivo de mortalidade precoce em pacientes retransplantados, modelo que foi validado internamente por Mattos et al. (2012). No entanto, para que um modelo matematico tenha aceitacao e efiCiência clinica e necessaria a sua validacao externa em uma populacao diferente da que o modelo foi construido. Objetivo: Validar externamente o modelo matematico preditivo de sobrevida, criado por Linhares et al. (2006). Metodo: Estudaram-se, retrospectivamente, 217 doentes submetidos a retransplante hepatico no periodo compreendido entre janeiro/2000 e dezembro/2008, em quatro centros Europeus. Os dados dos doentes foram obtidos da base de dados computadorizada da ELTR e dos Servicos participantes. Foram colhidas as seguintes variaveis do receptor: idade, creatinina, urgencia do retransplante e tempo entre o transplante e o retransplante. Foram utilizadas as curvas de sobrevida de Kaplan-Meier e a curva ROC com objetivo de validar o modelo matematico. Intervalos de confianca de 95% foram estimados. Pela tecnica de log-rank, compararam-se as curvas de sobrevida, quando dicotomizadas em dois decis (alto e baixo risco) e quando essas foram dicotomizadas em tercis, de acordo com os pontos de cortes do modelo original: alto risco (> 32), medio risco (24 - 32) e baixo risco (< 24). Resultados: Os resultados deste trabalho mostram igual tendencia de sobrevida em relacao ao trabalho de Linhares et al. (2006) no que se refere as variacoes biologicas, quando comparamos as curvas de sobrevida para cada uma das quatro variaveis estudadas entre ambas as amostras. Quando comparadas, as areas abaixo da curva ROC (aROC) das amostras de derivacao (0,733) e validacao (0,593), observou-se uma diferenca estatisticamente significante (p= 0,005), mostrando uma baixa relacao de sensibilidade e especificidade entre as duas curvas. Observou-se semelhanca nas curvas de sobrevida de Kaplan-Meier das duas amostras, tanto dicotomizadas pelo cut-off (ponto de corte = 30), como pela distribuicao em tercis (<24, 24-32 e > 32). Conclusao: Com este trabalho foi possivel validar externamente, atraves das curvas de sobrevida de Kaplan-Meier, o modelo matematico preditivo de sobrevida no retransplante de figado proposto por Linhares et al. (2006), porem a validacao atraves da curva ROC, a aROC, foi considerada de fraca habilidade discriminatoria.
Palavra-chave Transplante de fígado
Fatores de risco
Falha de tratamento
Modelos matemáticos
Sobrevida
Estudos de validação
Valor preditivo dos testes
Liver transplantation
Risk factors
Treatment failure
Mathematical models
Validation studies
Predictive value of tests
Survivorship
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 107 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22901

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta