Estudo da frequência temporal e padronização de uma PCR Multiplex para a detecção de oxacilinases em isolados clínicos de pseudomonas aeruginosa

Estudo da frequência temporal e padronização de uma PCR Multiplex para a detecção de oxacilinases em isolados clínicos de pseudomonas aeruginosa

Título alternativo Temporal frequency and standardization of a Multiplex PCR for detection of oxacilinases in pseudomonas aeruginosa clinical isolates
Autor Petrolini, Fernanda Villas Boas Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Gales, Ana Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Infectologia – São Paulo
Resumo Inicialmente um dendrograma foi realizado para a classificacao das diferentes oxacilinases descritas em isolados de P. aeruginosa em grupos. Com base nisso, reacoes de PCR multiplex e/ou convencional foram padronizadas utilizando iniciadores especificos para a deteccao e sequenciamento dos diferentes grupos de oxacilinases, diferenciando as oxacilinases de espectro restrito e ES-OXA descritas em P. aeruginosa. A partir dessa padronizacao, foi avaliada a presenca desses genes em uma colecao de 231 isolados clinicos de P. aeruginosa nao susceptiveis a cefepima no periodo de 1997-2011 provenientes do Hospital São Paulo - UNIFESP, localizado na cidade de São Paulo. A identificacao bacteriana dos isolados clinicos de P. aeruginosa foram identificados pela tecnica de MALDI-TOF MS e confirmado pela presenca do gene cromossomal blaOXA-50 codificador de uma oxacilinase de espectro restrito. Os genes pesquisados nos isolados clinicos estudados foram as oxacilinases: blaOXA-1; blaOXA-2; blaOXA-5; blaOXA-10; blaOXA-18; blaOXA-20; blaOXA-45; blaOXA-46; blaOXA-50; blaOXA-198, as MBLÆs blaIMP; blaVIM; blaSIM; blaGIM; blaSPM; blaGIM; as ESβL blaCTX-M; blaGES; blaTEM; blaSHV; e as carbapenemases blaKPC; blaGES-5. Genes codificadores de oxacilinases foram observados em 17,7% dos isolados avaliados, sendo o gene blaOXA-56 o mais frequentemente encontrado, seguido pelo gene blaOXA-2 (1,3%) e blaOXA-4 (0,90%). Alem desses, outros genes codificadores de β-lactamase foram tambem encontrados: blaCTX-M-2 (31,6%), blaSPM-1 (5,6%), blaSHV-5 (2,2%), blaGES-1 (1,7%) e blaTEM-1 (0,4%). Uma coproducao de OXA-2 com GES-1 e OXA-56 com GES-1 ou SPM-1 tambem foram observadas. Uma disseminacao clonal foi observada entre os isolados produtores de OXA-2, OXA-4 e SHV-5. No entanto, uma heterogeneidade clonal foi observada entre os isolados produtores de OXA-56 e CTX-M-2, as β-lactamases mais frequentes nos periodos de 1997-2001 e 2004-2011, respectivamente. Uma grande diversidade de β-lactamases foi observada entre os isolados de P. aeruginosa nao susceptiveis a cefepima durante o periodo de 15 anos de estudo, e tais enzimas estao relacionadas a resistencia as cefalosporinas de amplo espectro em um hospital universitario e terciario brasileiro
Palavra-chave beta-Lactamases
Pseudomonas aeruginosa
Oxacilina
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 130 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 130 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22856

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta