Efeitos da hiperprolactinemia no disco epifisário da tíbia de camundongos fêmeas ooforectomizadas após tratamento com esteóides sexuais

Efeitos da hiperprolactinemia no disco epifisário da tíbia de camundongos fêmeas ooforectomizadas após tratamento com esteóides sexuais

Título alternativo Effects of hyperprolactinemia in the tibial growth plate of ovariectomized female mice after treatment with sexual esteroides
Autor Wolff, Roberta Bastos Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Soares Junior, Jose Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar os efeitos da hiperprolactinemia induzida pelo tratamento continuo por 50 dias com metoclopramida no disco epifisario da tibia de camundongos femeas, adultas e ooforectomizadas apos o tratamento com estrogenio, progesterona e testosterona. Materiais e metodos: 140 camundongos femeas, adultas, virgens, com 100 dias de idade e com peso entre 30-35 gramas, foram divididas aleatoriamente em 14 grupos constituidos por 10 animais cada: V - tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9%; H u tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9%; Ovx/V u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9%; Ovx/H u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9%; Ovx/V+E u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2μg de propionato de estradiol; Ovx/H+E u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2μg de propionato de estradiol; Ovx/V+P u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2mg de propionato de progesterona; Ovx/H+P u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de colucao salina 0,9% e 2mg de propionato de progesterona; Ovx/V+T u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 90μg de propionato de testosterona; Ovx/H+T u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 90μg de propionato de testosterona; Ovx/V+E+P u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2μg de propionato de estradiol + 2mg de propionato de progesterona; Ovx/H+E+P u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2μg de propionato de estradiol + 2mg de propionato de progesterona; Ovx/V+E+P+T u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de metoclopramida e 2μg de propionato de estradiol + 2mg de propionato de progesterona + 90μg de propionato de testosterona; Ovx/H+E+P+T u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2μg de propionato de estradiol + 2mg de propionato de progesterona + 90μg de propionato de testosterona. Todos os grupos foram tratados por 50 dias consecutivos. No 50o dia, os animais foram decapitados para a coleta do sangue da aorta e este foi enviado para analise da dosagem serica do hormonio prolactina e esteroides sexuais estrogenio, progesterona e testosterona. As tibias retiradas foram processadas, descalcificadas e emblocadas em parafina. Cortes do disco epifisario da regiao distal das tibias foram obtidos, onde foram analisados e obtiveram-se as estatisticas das analises morfometricas, apos coloracao com os corantes Hematoxilina/Eosina e Tricromio de Massom e imunoexpressao da proteina anti-apoptotica Bcl-2. Resultados: A hiperprolactinemia, assim como o procedimento de ooforectomia bilateral diminuiram significativamente a proliferacao celular e formacao ossea e aumentaram a morte celular no disco epifisario. No entanto, o tratamento com o estrogenio aumentou a proliferacao celular, a progesterona aumentou a formacao ossea e a testosterona aumentou tanto a proliferacao celular quanto a formacao ossea, idependemente do processo de ooforectomia bilateral e a hiperprolactinemia. Quando o tratamento foi ministrado conjuntamente, sempre os resultados foram melhores do que quando ministrado isoladamente. Os resultados da imunoexpressao da proteina anti-apoptotica Bcl-2 evidenciou positividade nos condrocitos do final da zona de cartilagem proliferativa e inicio da zona de cartilagem hipertrofica, mostrando que a aplicacao exogena dos esteroides sexuais faz com que haja uma maior protecao a cartilagem, devido a retardar a morte celular nessas celulas e com isso, aumenta a formacao ossea. Conclusoes: A ooforectomia e a hiperprolactinemia levaram os camundongos femeas a terem maior impacto negativo na qualidade da morfologia ossea, devido a degeneracao da cartilagem, causada por maior quantidade de morte celular programada. O tratamento com os tres esteroides sexuais associados produziu os resultados mais positivos sobre a morfologia e crescimento osseo do disco epifisario, do que quando utilizados isoladamente, independentemente do processo de ooforectomia bilateral e do tratamento com a metoclopramida
Palavra-chave Animais
Ovariectomia
Hiperprolactinemia
Escorregamento das epífises proximais do fêmur
Hormônios esteroides gonadais
Camundongos
Animals
Ovariectomy
Hyperprolactinemia
Slipped capital femoral epiphyses
Gonadal steroid hormones
Mice
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 87 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 87 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22835

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta