Estudo Neuroquímico e comportamental da relação entre depressão e dependência ao etanol em camundongos

Estudo Neuroquímico e comportamental da relação entre depressão e dependência ao etanol em camundongos

Título alternativo Neurochemical and behavioral study of the relationship between depression and dependence to ethanol in mice
Autor Teixeira, Patricia Varela Lima Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Silveira, Dartiu Xavier da Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Psiquiatria e Psicologia Médica – São Paulo
Resumo Objetivos: A fim de verificar as consequencias comportamentais e neuroquimicas da depressao sobre a aprendizagem associativa ao uso do alcool, este estudo buscou verificar se a privacao de luz altera a preferencia condicionada ao local induzida pelo etanol em camundongos. Atraves de estudos imunohistoquimicos, foi avaliada a expressao de pCREB, pERK, C-fos e Histona 3, visando identificar os mecanismos neuroquimicos associados aos efeitos comportamentais. Considerando a importancia do sistema endocanabinoide no contexto deste estudo, tambem foi avaliada a imunoreatividade de receptores canabinoides tipo 1 (CB1R) e tipo 2 (CB2R). Metodos: Foram utilizados 36 camundongos suicos machos adultos. Foi realizada privacao de luz 24 horas/dia por quatro semanas. Na sequencia os animais foram readaptados a luz por sete dias. Como controle, utilizou-se animais mantidos no bioterio em ciclo claro escuro padrao (grupo Naive). Em seguida, os animais foram submetidos a uma serie de testes comportamentais para avaliar a emocionalidade (campo aberto, labirinto em cruz elevado, nado forcado e consumo de sacarose). Por fim, estes dois grupos foram submetidos ao protocolo de preferencia condicionada ao local induzida por etanol. Apos o teste da preferencia condicionada, os mesmos foram perfundidos e seus cerebros processados para imunohistoquimica. Resultados: A privacao de luz foi capaz de induzir um estado de ansiedade (labirinto em cruz elevado), desamparo (nado forcado) e hiperatividade (campo aberto), mas nao de anedonia (consumo de sacarose). Essas alteracoes sao comumente vistas em diferentes modelos de depressao, mostrando que a privacao de luz e um modelo capaz de induzir um estado semelhante a depressao em animais. Alem disso, a privacao de luz inibiu a aquisicao e/ou expressao da preferencia condicionada ao local induzida por alcool. Estes efeitos comportamentais foram acompanhados por alteracoes neuroquimicas significativas. Conclusao: A privacao de luz mimetizou os aspectos comportamentais observados em outros modelos animais de depressao, fornecendo com isso, evidencias para a consolidacao do seu uso em estudos experimentais relacionados com a depressao. Alem disso, o modelo inibiu a aprendizagem associativa apetitiva induzida pelo etanol. Tais efeitos comportamentais foram acompanhados por alteracoes significativas do ponto de vista neuroquimico, que de certa forma, justificam os resultados comportamentais observados, tais como: alteracao na expressao de c-Fos, pCREB, pERK, H3, CB1R e CB2R
Palavra-chave Animais
Alcoolismo
Depressão
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias
Camundongos
Animais
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Data de publicação 2013
Publicado em TEIXEIRA, Patrícia Varela Lima. Estudo Neuroquimico e comportamental da relação entre depressão e dependência ao etanol em camundongos. 2013. 168 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2013.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 168 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22831

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-14024.pdf
Tamanho: 3.368MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta