O impacto da sobrecarga hidrica na doenca cardiaca grave

O impacto da sobrecarga hidrica na doenca cardiaca grave

Título alternativo The fluid overload impact on severe heart disease
Autor Stein, Anna Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Ainda nao esta totalmente identificado na doenca cardiaca grave qual o momento inicial de injuria cardiaca ou renal quando ocorre acumulo de volume. Com o intuito de melhor entender os mecanismos fisiopatologicos desta relacao, dividimos esta Tese em dois subprojetos. No primeiro subprojeto, estudamos a mortalidade, estado clinico, variabilidade de frequencia cardiaca, estresse oxidativo e niveis plasmaticos da enzima conversora da angiotensina (ECA) em pacientes com insufiCiência cardiaca, graus III e IV, com tratamentos: clinico convencional, ultrafiltracao e hemofiltracao isovolumetrica durante um periodo de tres meses. Foram randomizados 18 pacientes. Dentre eles, 4 pacientes realizaram somente tratamento clinico, 4 pacientes tratamento clinico e ultrafiltracao, 4 pacientes hemofiltracao e 6 pacientes ultrafiltracao isolada.Durante a primeira semana de observacao, foi necessaria a quebra de protocolo com a transferencia de 4 pacientes do grupo tratamento clinico para ultrafiltracao devido a ausencia de resposta ao tratamento clinico, conforme orientacao da II Diretriz de InsufiCiência Cardiaca Aguda. Observamos uma reducao significante do peso corporal, do estresse oxidativo plasmatico (lipoperoxidacao de membranas avaliada por TBARS) e da ECA apos uma semana do tratamento por ultrafiltracao quando comparado com o tratamento clinico. Uma melhora significante da modulacao cardiovascular do sistema nervoso autonomico foi obtida no grupo que realizou ultrafiltracao. No entanto, a mortalidade destes pacientes foi elevada (61%), nao sendo possivel identificar diferencasna causa de obito, no numero de consultas extras e de reinternacoes devido a pequena quantidade de pacientes. Estes resultados refletem a gravidade da associacao da sobrecarga de volume com a disfuncao cardiaca e renal. Neste sentido, no segundo subprojetoavaliamos o impacto do acumulo de volume em pacientes cardiopatas ja no pos-operatorio de cirurgia cardiaca em relacao a mortalidade, tempo de internacao hospitalar, funcao renal e outras variaveis perioperatorias. Foram incluidos pacientes adultos submetidos a cirurgia cardiaca no Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul por um periodo de 12 meses, em um estudo coorte prospectivo. Avaliacao clinica e laboratorial foi coletada no pre, trans e pos-operatorio e acumulo de volume e niveis de creatinina serica foram anotados diariamente apos a cirurgia cardiaca durante todo o periodo em que o paciente permaneceu na sala de recuperacao cirurgica. O acumulo de volume foi calculado de acordo com a seguinte formula: soma de todos os liquidos recebidos pelo paciente em 24 horas (L) - total de liquidos eliminados (L)/peso pre-operatorio (Kgx100).Foram avaliados 502 pacientes, com idade media de 62,4±13,3 anos, 61,4% homens. O acumulo de volume e o aumento da creatinina serica (0,1mg/dL) foram relacionados com mortalidade. O acumulo de volume foi a variavel que, de forma mais importante,foirelacionada ao tempo de internacao. Neste sentido, os resultados deste subprojeto reforcam que a simples observacao de acumulo diario de volume foi suficiente para identificar fatores prognosticos, numa forma mais intensa do que o esperado.Em conjunto, os achados demonstram que pequenos aumentos de volume foram responsaveis por maior mortalidade e tempo de internacao hospitalar. E muito provavel que a alta mortalidade observadanos pacientes com insufiCiência cardiaca graus III e IV seja um reflexo do extremo desta situacao clinica, na qual os mecanismos de ajuste estejam fora de controle ou esgotados. Neste sentido, e necessario desenvolver metodos adequados para identificar nos pacientes com insufiCiência cardiaca o momento de intensificar qualquer tipo de tratamento ou mesmo suspender a remocao de volume, para a manutencao do equilibrio funcional entre o rim e o coracao
Palavra-chave Humanos
Insuficiência Renal
Insuficiência Cardíaca
Volume Cardíaco
Mortalidade
Período Pós-Operatório
Procedimentos Cirúrgicos Cardíacos
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 139 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 139 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22817

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta