Impacto do controle glicemico no perfil de coagulacao e inflamacao em pacientes com choque septico

Impacto do controle glicemico no perfil de coagulacao e inflamacao em pacientes com choque septico

Título alternativo Impact of glycemic control in inflammation and coagulation profile in patients with septic shock
Autor Sanches, Luciana Coelho Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: conhecer o comportamento do sistema de coagulacao em pacientes septicos que evoluem com hiperglicemia e o impacto do uso continuo de insulina e do controle glicemico nessas alteracoes. Metodos: o estudo avaliou o perfil glicemico, de coagulacao e de inflamacao de pacientes com choque septico com menos de 48 horas de instalacao da disfuncao organica no momento da inclusao e apos 24 horas. Foram coletados dados demograficos, bem como dados do perfil glicemico dos pacientes. Dosaram-se os fatores de coagulacao fator tecidual, fator VII, trombina-antitrombina, D-dimero, fibrinogenio, fragmento 1+2, tempo de trombina, proteina C, antitrombina, plasminogenio, ativador do plasminogenio tecidual, inibidor do fator tecidual e inibidor do ativador de plasminogenio. Para o perfil inflamatorio, foram dosadas interleucinas 6, 8 e 10 e proteina C reativa. Resultados: Foram incluidos 41 pacientes, distribuidos em 20 com normoglicemia (Grupo 1) e 21 com hiperglicemia controlada (Grupo 2). A mediana de glicemia foi significativamente diferente entre os grupos no momento basal (p<0,001) mas nao apos 24 horas (p<0,47). O perfil de coagulacao foi semelhante entre os pacientes dos Grupos 1 e 2 no momento basal, com elevacao dos parametros de coagulacao, consumo de fator VII, proteina C e antitrombina e inibicao da fibrinolise. Nao houve diferenca significativa apos 24 horas no grupo normoglicemico. Ja os pacientes com hiperglicemia controlada apresentaram concentracoes mais altas de fator VII (p=0,03), proteina C (p=0,04) e de antitrombina (p=0,04) quando comparados aos pacientes normoglicemicos. Nesses pacientes houve aumento das concentracoes de plasminogenio (p=0,03) e reducao nas concentracoes de inibidor do ativador de plasminogenio (p=0,01) e de ativador tecidual do plasminogenio. (p=0,03) em relacao aos valores basais. Em relacao ao perfil inflamatorio, em ambos os grupos as concentracoes de interleucina 6, 8 e 10 bem como a concentracao de proteina C reativa se encontravam elevadas desde o momento basal, sem diferenca entre os grupos. Apos 24 horas, as concentracoes de interleucinas se encontravam significativamente mais baixos nos pacientes do Grupo 2. Nao houve correlacao entre as alteracoes no perfil de coagulacao e parametros de gravidade ou de glicemia, exceto para as concentracoes de proteina C cujo aumento associou-se a niveis basais de lactato mais baixos. Observam-se correlacoes fracas entre alguns parametros de coagulacao e de inflamacao, porem julgou-se haver relevantes limitacoes na interpretacao desses resultados. Conclusoes: o padrao de coagulacao em pacientes normoglicemicos e hiperglicemicos com choque septico e semelhante no momento basal. Entretanto, observou-se melhora do estado de hipercoagulabilidade e das alteracoes da fibrinolise apos o controle da glicemia, sugerindo melhora do perfil de procoagulacao. O perfil inflamatorio se caracteriza por concentracoes elevadas de citocinas e de PCR no momento basal com reducao desses valores apos 24 horas, independente do perfil glicemico dos grupos. Nao foi possivel observar correlacao entre a evolucao dos parametros de coagulacao e parametros de gravidade dos pacientes ou modificacoes do perfil glicemico, dose de insulina recebida ou insulinemia. E possivel que as alteracoes da coagulacao encontradas nos pacientes hiperglicemicos controlados estejam correlacionadas com melhora dos parametros inflamatorios
Palavra-chave Humanos
Glicemia
Índice Glicêmico
Coagulação Sanguínea
Inflamação
Choque Séptico
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 81 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 81 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22800

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta