Caracterizacao molecular de rotavirus como causador de diarreia em populacao de duas regioes geograficas do Brasil

Caracterizacao molecular de rotavirus como causador de diarreia em populacao de duas regioes geograficas do Brasil

Título alternativo Molecular characterization of rotaviruses as etiological agents of diarrhoea in general populations of two geographic regions of Brazil
Autor Leite, Marcel Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Em escala global, o rotavirus e considerado como o principal causador da diarreia infantil grave, acometendo, principalmente, criancas entre 0 e 5 anos. Em marco de 2006, a vacina Rotarix® (oral, cepa G1P[8] atenuada de origem humana) foi incluida no calendario vacinal brasileiro. Dados do ministerio da Saúde revelam que no ano de 2009 a cobertura nacional deste imunizante foi de 84,4%. Relatos sobre o aumento na circulacao da cepa G2P[4], apos 2006, trouxeram a tona a discussao ao redor da eficacia deste imunizante, para as cepas nao G1. Considerando que a epidemiologia molecular do rotavirus pode apresentar dados para o aprimoramento do controle vacinal na populacao infantil, o objetivo deste estudo foi identificar os genotipos de rotavirus circulantes, em 2 regioes brasileiras, durante o ano de 2009. Um total de 223 amostras de fezes, provenientes das regioes Nordeste (Bahia e Pernambuco) e Sudeste (São Paulo e Rio de Janeiro), com resultado previamente positivo para rotavirus (Imunocromatografia) foram submetidas a tecnica nested RT-PCR para serem genotipadas de acordo com as proteinas VP7 (G) e VP4 (P). A caracterizacao genotipica do rotavirus foi obtida em 175 amostras (78,5%). Para essas amostras, a idade dos pacientes variou entre 0 a 83 anos (media de 15,6 anos e mediana de 6 anos), sendo 46,3% na faixa de 0 a 5 anos, 50,9% eram individuos do sexo feminino e, com relacao a regiao de origem, 52,6% foram provenientes da regiao Nordeste e 47,4% da regiao Sudeste. Em relacao a sazonalidade, 59,0% (Sudeste) e 73,9% (Nordeste) das amostras genotipadas foram colhidas entre os meses de junho e setembro. Para a genotipagem de VP7, foi observada circulacao dos genotipos G1, G2 e G4 (Nordeste) e G2, G3, G5 e G9 (Sudeste), enquanto que para VP4 foi observada circulacao de P[4], P[8], P[6] e P[9] (Nordeste e Sudeste). As associacoes de G e P mais frequentes no Nordeste foram G2P[4]/G2P[NT] (81,4%), G2P[6] (5,2%) e G1P[6] (5,2%), enquanto que no Sudeste foram G2P[4]/G2P[NT] (78,8%), G2P[6] (8,2%) e G9P[8] (4,7%). Entre os individuos de 0 a 4 anos que foram imunizados contra o rotavirus (15,1%), o genotipo G2P[4]/G2P[NT] foi identificado em 91,0% e naqueles com mesma faixa etaria que nao foram imunizados (9,6%) o genotipo G2P[4]/G2P[NT] foi encontrado em 85,7%. Tais achados, em concordancia com o alto indice de cobertura vacinal, sugerem que a circulacao de G2P[4] nas regioes estudadas apresentou aumento consideravel apos a adocao da Rotarix® no calendario vacinal
Palavra-chave Humanos
Rotavirus
Epidemiologia
Genótipo
Vacinas
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 107 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Texto
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22795

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta