Ativação linfocitária no transplante intestinal fetal em camundongos: efeito da n-acetilcisteína e do precondicionamento isquêmico

Ativação linfocitária no transplante intestinal fetal em camundongos: efeito da n-acetilcisteína e do precondicionamento isquêmico

Título alternativo Lymphocyte activation on fetal intestinal transplant in mice: effects n-acetycysteine and ischemic preconditionning
Autor Abrahao, Marcos de Souza Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Montero, Edna Frasson de Souza Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar a ativacao linfocitaria no transplante intestinal fetal em camundongos, associado ao PCI ou a NAC. Metodos: Foram utilizadas tres femeas (BALB/c), prenhas, submetidas ou nao ao PCI-R, que forneceram os fetos doadores de intestino. Camundongos machos: C57BL/6 (ALO) e BALB/c (ISO), receptores do enxerto intestinal foram distribuidos em grupos ALO-TX(n=07), ALO-PCI(n=07), ALO-NAC(n=07); ISOTX( n=07), ISO-PCI(n=07) e ISO-NAC(n=07). As femeas foram anestesiadas com cetamina (80 mg.Kg-1) e xilazina (10mg.Kg-1) im. Apos o periodo de PCI (10 min de isquemia e de reperfusao) ou de administracao da NAC (1200 mg.kg-1) ou de observacao, realizou-se laparotomia mediana longitudinal e histerotomia. No feto foi realizada laparotomia transversa para a remocao do intestino, que foram mantidos em Ringer Lactato a 4ºC. O preparo do enxerto intestinal consistiu em retirada do mesenterio e segmentacao de 1,0 cm de extensao. Os enxertos intestinais foram transplantados nos receptores de forma avascular entre a parede posterior do musculo reto abdominal e o peritonio parietal, sem exteriorizacao das extremidades. Procedeu-se a aproximacao do musculo reto abdominal e o fechamento da pele por meio de sutura com prolene 8-0. No sexto dia pos-transplante, os receptores foram sacrificados para a obtencao de linfonodos inguinais e remocao dos enxertos intestinais. Foram confeccionadas laminas de HE para a avaliacao do desenvolvimento e/ou rejeicao do enxerto. As expressoes de CD4 e CD8, CD62L, CD69 e CD44 (Pharmigen BD) foram avaliadas por citometria de fluxo. A quantificacao de INF- foi realizada no soro atraves de ELISA (Quantikine®, mouse IFN- , R&D SYSTEMS). Os dados foram expressos em media±desvio padrao, utilizou-se a analise de variancia de uma via, complementada pelo Teste de Bonferroni, com p<0,05. Resultados: O desenvolvimento do grupo ISO foi maior comparado ao grupo alogenico; o PCI e a NAC auxiliaram no desenvolvimento e reduziram a rejeicao no transplante ALO. No transplante ISO, o PCI reduziu o infiltrado inflamatorio do enxerto. O aumento da expressao de CD4 ocorreu nos grupos ISO, e do CD8 nos grupos ALO. A expressao de CD8/CD44 aumentou no grupos alogenicos em relacao aos grupos ISO. O CD4/CD44 foi menor no ALO-PCI e ALO-NAC, e no ALO-PCI, o CD8/CD44 foi menor em relacao ao ALO-TX. Valores de INF- foram semelhantes entre os grupos. Conclusoes: O precondicionamento isquemico remoto e a n-acetilcisteina reduziram a rejeicao no alotransplante e modularam a ativacao de linfocitos CD4/CD44
Palavra-chave Animais
Transplante de Tecido Fetal
Intestinos
Acetilcisteína
Precondicionamento Isquêmico
Rejeição de Enxerto
Camundongos
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 55 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 55 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22792

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta