Estudo da associacao entre Diabetes Mellitus na flexibilidade do ombro e da coluna lombar em individuos nipo-brasileiros residentes na cidade de Bauru - 2005

Estudo da associacao entre Diabetes Mellitus na flexibilidade do ombro e da coluna lombar em individuos nipo-brasileiros residentes na cidade de Bauru - 2005

Título alternativo Study of the relationship between Diabetes Mellitus and the flexibility of the shoulder and of the lumbar spine in Japanese-Brazilian individuals living in Bauru u 2005
Autor Silva, Alexandre Kikuti da Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: O objetivo deste estudo com a populacao adulta Nipo-Brasileira residente na cidade de Bauru/SP-2005 foi de comparar a flexibilidade media, minima e,maxima dos ombros e coluna lombar entre individuos portadores e nao portadoresmde diabetes mellitus em funcao da idade, controlado por sexo, nivel de atividade fisica, e obesidade. Metodos: Atraves de estudo transversal 639 individuos (397 mulheres e 308 homens) com idade entre 30 e 90 anos, foram classificados em quatro grupos: ativo nao diabetico, insuficientemente ativo nao diabetico, ativo diabetico e insuficientemente ativo diabetico onde foi comparada entre eles a flexibilidade da coluna lombar e a flexibilidade maxima, minima e media dos ombros controlando-se por sexo, diabetes, inatividade fisica, idade, indice de massa corporal, perimetro de cintura. Resultados: O nivel de flexibilidade da coluna lombar nos individuos insuficientemente ativos apresenta em media 4,09 (p=0,004) graus a menos de flexibilidade quando comparados aos individuos ativos independentemente de sexo, diabetes, idade e perimetro de cintura. Nas mulheres a cada ano de idade a flexibilidade da coluna lombar diminui de 0,143 graus (p=0,082), enquanto que nos homens a flexibilidade da coluna lombar diminui a cada ano de idade de 0,519 (p=0,001). Observa-se que o aumento de uma unidade no perimetro da cintura diminui a flexibilidade da coluna lombar de 0,482 graus (p<0,001) nos individuos nao diabeticos independentemente de idade, sexo, inatividade fisica. Ja nos individuos diabeticos, cada aumento de uma unidade no perimetro de cintura diminui a flexibilidade da coluna lombar em 0,153 graus (p=0,019). A flexibilidade dos ombros no grupo de mulheres, apesar de apresentar menor grau de amplitude quando comparado aos grupos de homens, nao apresentou significancia. Diferente do esperado, o grupo dos homens ativos diabeticos foi o grupo que apresentou maior nivel da flexibilidade media dos ombros em funcao da idade quando comparado aos outros tres grupos citados. Conclusao: A limitacao da amplitude articular gerando menores niveis de flexibilidade e descrita na literatura como uma comum manifestacao associada ao diabetes, porem, em nosso estudo essa situacao nao se mostrou estabelecida. Uma das explicacoes pode ser a ausencia de informacoes, como o tempo de diabetes e o controle glicemico. Ja a presenca da atividade fisica apresentou importante papel na flexibilidade, independentemente da presenca ou nao do diabetes. Ser mais ativo mostrou fundamental importancia no nivel de flexibilidade da coluna lombar, principalmente no grupo dos homens
Palavra-chave Humanos
Maleabilidade
Atividade Motora
Produtos Finais de Glicosilação
Colágeno
Diabetes Mellitus
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 102 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 102 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22731

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta