Contribuição da hiperexpressão do sistema de efluxo AdeABC e da hiperprodução de AmpC na resistência aos β-lactâmicos em isolados clínicos de Acinetobacter baumannii produtores de OXA-23 no Brasil.

Contribuição da hiperexpressão do sistema de efluxo AdeABC e da hiperprodução de AmpC na resistência aos β-lactâmicos em isolados clínicos de Acinetobacter baumannii produtores de OXA-23 no Brasil.

Título alternativo Contribution of the overexpression efflux pump AdeABC and hiperproduction of AmpC in the resistance to β-lactams in clinical isolates of Acinetobacter baumannii producing OXA-23 in Brazil
Autor Cardoso, Juliana Provasi Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Gales, Ana Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Infectologia – São Paulo
Resumo A producao de OXA-23 e o principal mecanismo de resistencia aos carbapenens em isolados de A. baumannii no Brasil e surtos causados por esses micro-organismos tem sido reportados em todo o mundo. Embora as cefalosporinas de espectro ampliado (ESCph) nao sejam hidrolisadas pelas carbapenemases de classe D, isolados brasileiros de A. baumannii produtores de OXA-23 apresentam altos niveis de resistencia a esses antimicrobianos. O presente estudo objetivou avaliar a contribuicao da hiperexpressao do sistema de efluxo AdeABC e da hiperproducao de AmpC na resistencia aos β-lactamicos em isolados brasileiros de A. baumannii produtores de OXA-23. Para o estudo foram selecionados 31 isolados de A. baumannii produtores de OXA-23 de quatorze hospitais privados localizados em sete estados brasileiros e que apresentavam diferentes padroes de PFGE. A identificacao dos isolados de A. baumannii foi realizada pelo MALDI-TOF MS e confirmada pelo sequenciamento do gene rpoB. O perfil clonal foi novamente confirmado pela tecnica de PFGE e analisado pelo programa oBioNumericso. A producao de genes codificadores de β-lactamases e sua associacao com a presenca de ISAba1 foi confirmada por PCR seguido de sequenciamento. O teste de sensibilidade foi realizado pela metodologia de microdiluicao em caldo, segundo o CLSI. Para avaliar fenotipicamente a hiperexpressao de sistemas de efluxo, as CIMs para os β-lactamicos foram comparadas na presenca e na ausencia do inibidor de sistemas de efluxo PAβN. A ancestralidade dos diferentes clones foi avaliada pela tecnica de MLST. O perfil de proteinas de membrana externa foi avaliado por SDS-PAGE. Os niveis de transcricao dos genes adeB, carO, ompA, ompW e omp33-36 foram avaliados pela tecnica de qRT-PCR comparando com os resultados obtidos da ATCC BAA-1709 de A. baumannii multissensivel. Todos os isolados foram identificados como A. baumannii. Foi observada a presenca de ISAba1 localizada a montante dos genes blaOXA-23, blaOXA-51-like e blaAmpC em 100%, 54,8% e 77,4% dos isolados, respectivamente. Um grande numero de variantes da CHDL cromossomica do grupo OXA-51 foi verificada entre os isolados brasileiros de A. baumannii, estando a variante estreitamente relacionada ao respectivo padrao de PFGE/ST. Altos niveis de resistencia foram observados para ampicillina/sulbactam, ESCph, aztreonam, carbapenens, fluoroquinolonas, aminoglicosideos e tigeciclina. Somente a polimixina B e a minociclina apresentaram atividade contra os isolados avaliados (CIM90 de 0,5 μg/mL, ambos). Os 31 perfis de PFGE foram agrupados em 12 STs diferentes, dos quais sete apresentaram sequencias alelicas unicas. A maioria dos isolados pertencia aos complexos clonais CC79, CC15 e CC1, sendo o ST79 o mais prevalente entre os isolados avaliados (n=12; 38,7%). Os demais STs encontrados foram: ST15 (n=6; 19,4%), ST1 (n=4; 12,9%) e ST162, ST46, ST188, ST189, ST190, ST191, ST192, ST228 e ST299 (n=1; 3,2%, cada). Os isolados apresentando o gene blaAmpC associado a ISAba1 apresentaram altas taxas de resistencia as ESCph (ceftazidima, CIMs de 32 a >1024 μg/mL; cefotaxima, CIMs de 256 a >1024 μg/mL), contrastando com os isolados que nao apresentavam tal associacao (ceftazidima, CIMs de 8 a 128 μg/mL; cefotaxima, CIMs de 16 a 64 μg/mL). Diminuicao da CIMs ≥ 2 diluicoes para meropenem e ceftazidima foi verificado em 80,6% (n=25) e 54,8% (n=17), respectivamente. A hiperexpressao do gene adeB foi observada em 74,2% (n=23) dos isolados, principalmente naqueles isolados pertencentes aos complexos clonais. Por outro lado, foi observada uma diminuicao da expressao do gene carO. Apesar disso, o perfil de SDS-PAGE demonstrou uma grande reorganizacao das proteinas de membrana externa entre os isolados avaliados, destacando-se a ausencia de uma porina de 21 kDa, compativel com a OmpW. A resistencia as ESCph nos isolados brasileiros de A. baumannii produtores de OXA-23 esta relacionada a hiperproducao de AmpC, alem disso, a hiperexpressao de sistemas de efluxo contribui na elevacao das CIMs para meropenem e ceftazidima. A maioria dos clones de A. baumannii produtores de OXA-23 circulantes no Brasil, pertencem aos principais complexos clonais descritos no mundo e apresentam um fenotipo MDR. A resistencia aos β-lactamicos entre os isolados de A. baumannii produtores de OXA-23 no Brasil e multifatorial, o que dificulta o seu completo entendimento
Palavra-chave Acinetobacter baumannii
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 151 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 151 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22703

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta