Análise proteômica dos efeitos do treinamento físico resistido de alta intensidade sobre o tecido cardíaco dos ratos.

Análise proteômica dos efeitos do treinamento físico resistido de alta intensidade sobre o tecido cardíaco dos ratos.

Título alternativo Proteomic analysis of the effects of resistance exercise training protocol of high intensity on the cardiac tissue of mice
Autor Dantas, Patricia Sousa Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Cunha, Tatiana de Sousa da Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Medicina translacional – São Paulo
Resumo O exercicio fisico, como ja bem estabelecido, promove adaptacoes que contribuem para a melhora das funcoes fisiologicas, principalmente em relacao ao sistema cardiovascular. No entanto, sabe-se tambem que quando o treinamento fisico e mal prescrito muitos problemas podem ser desencadeados, desde lesoes agudas a efeitos mais serios irreversiveis, como a morte subita. Com o objetivo de avaliar a modulacao de um protocolo de treinamento fisico resistido de alta intensidade sobre a expressao das proteinas do tecido cardiaco, ratos Wistar machos foram aleatoriamente divididos em 2 grupos experimentais: Treinado (T) e Sedentario (S). Os animais do grupo T foram submetidos a um protocolo de treinamento de salto em meio liquido, durante 6 semanas. Apos esse periodo, os animais foram sacrificados e tiveram seus coracoes isolados para posterior analise proteomica atraves de UPLC-MSE. Na analise proteomica do tecido cardiaco, foram detectadas 187 proteinas, e destas, 132 foram identificadas, sendo que 52 proteinas estavam expressas exclusivamente no grupo T e 8 no grupo S. Na analise quantitativa entre os grupos T e S, foram identificadas 58 proteinas superexpressas e 14 proteinas subexpressas. Com a utilizacao do Gene Ontology identificamos os processos biologicos nos quais as proteinas estavam envolvidas, a saber: 1) Observou-se importante modulacao do treinamento fisico sobre as proteinas relacionadas ao metabolismo cardiaco, com tendencia a diminuicao daquelas relacionadas ao metabolismo de acidos graxos e consequente aumento daquelas ligadas ao metabolismo glicolitico; 2) Grande expressao de proteinas envolvidas na degradacao das especies reativas de oxigenio; 3) Expressao de proteinas relacionadas a processos de apoptose e 4) Expressao de proteinas heat shocks, como a HSPB6 (ou HSP20), relacionada a mecanismos de protecao contra injuria tecidual cardiaca. Estes resultados corroboram com dados anteriores do nosso grupo de pesquisa, onde foi observado que o protocolo de treinamento em questao promoveu uma hipertrofia cardiaca importante; houve um aumento na razao peso do coracao/peso corporal (indice utilizado para avaliacao de hipertrofia cardiaca). Estes dados em conjunto indicam que o modelo de treinamento fisico utilizado promove adaptacoes prejudiciais ao tecido cardiaco e mostram pela primeira vez, a importante modulacao exercida pelo estimulo (treinamento) sobre proteinas especificas do tecido. A identificacao destas proteinas e vias envolvidas pode auxiliar na compreensao dos mecanismos relacionados ao desenvolvimento da hipertrofia cardiaca patologica e morte subita entre atletas
Palavra-chave Animais
Proteômica
Treinamento de Resistência
Miocárdio
Hipertrofia Ventricular Esquerda
Ratos Wistar
Animais
Idioma Português
Financiador Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 107 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22697

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta