Estudo prospectivo controlado randomizado duplo cego, avaliando a efetividade do corticoide oral no tratamento da estenose de canal lombar em pacientes sintomaticos

Estudo prospectivo controlado randomizado duplo cego, avaliando a efetividade do corticoide oral no tratamento da estenose de canal lombar em pacientes sintomaticos

Título alternativo Prospective randomized controlled double-blind study evaluating the efficacy of oral corticosteroids in the treatment of lumbar spinal stenosis in symptomatic patients
Autor Rodrigues, Luiz Claudio Lacerda Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Estudo prospectivo controlado randomizado duplo cego, avaliando a efetividade do corticoide oral no tratamento da estenose de canal lombar em pacientes intomaticos. A tentativa de utilizacao de uma medicacao de forma oral, como possibilidade de melhora clinica destes pacientes poderia ser uma possibilidade terapeutica para estes individuos com sintomas limitantes e risco elevado para uma abordagem cirurgica. Na tentativa de avaliar o efeito do anti-inflamatorio esteroidal na apresentacao oral na sindrome do canal estreito, realizamos um estudo comparativo entre dois grupo de pacientes: com o primeiro, utilizando o corticoide oral na dosagem inicial de 1mg por kg, com reducao gradativa da dose por um periodo de 3 semanas e com o segundo, utilizando placebo, sendo o paciente e o avaliador cegos para a medicacao. Apos o inicio da medicacao os pacientes foram acompanhados por um periodo de 12 semanas, quando comparamos os resultados. Randomizamos pacientes de 50 a 75 anos de ambos os generos. Nao incluimos pacientes com idade acima, pela possibilidade de outras doencas senis influenciarem o resultado. Tambem nao incluimos pacientes com doencas descompensadas e patologias articulares do quadril e joelho pois, alem de mimetizarem doencas da coluna, influenciariam diretamente o teste de caminhada de 6 minutos e a qualidade de vida dos pacientes. O diametro do canal foi calculado conforme a tecnica descrita por Hamanishi e, baseados na literatura, utilizamos como valor maximo 100mm2, sendo este valor pre-definido como indicador de estenose do canal lombar. Observamos que os resultados clinicos foram muito semelhantes entre os dois grupos de pacientes, nao tendo sido registrada diferenca estatistica entre eles, em todos os questionarios avaliados no decorrer do processo da avaliacao. Entretanto, dois achados foram relevantes: 1) O IMC elevado influencia diretamente os resultados clinicos, observando-se que pacientes obesos tem piores apresentacoes iniciais e pior evolucao clinica; 2)Nao encontramos uma relacao direta entre o diametro do canal vertebral e a gravidade dos sintomas, mas observamos que pacientes com estenose no nivel L4/L5 sao mais sintomaticos do que os com estenose no nivel L5/S1. Para a pesquisa, utilizamos os questionarios de avaliacao, EVA, Roland Morris, SF 36, escala tipo Likert e o teste de caminhada de 6 minutos, os mesmos utilizados nos mais diversos trabalhos sobre a sindrome do canal estreito lombar. Os resultados dos questionarios foram muito semelhantes aos dos demais trabalhos, sugerindo que os tem validacao externa e que nao existe uma disparidade entre eles quando utilizados em diferentes tarefas. Nossos resultados mostraram ainda, que em nossa demografia, as mulheres sao mais acometidas pela sindrome do canal estreito lombar. Quando comparados com os da literatura mostraram muitos resultados divergentes, como a resposta clinica ao tratamento, e muitos semelhantes, como dados demograficos e perfis epidemiologicos. Deve-se levar em conta que comparamos estudos feitos com corticoides epidurais, uma vez que nao encontramos estudos feitos com corticoide oral para tratamento da sindrome do canal estreito lombar. Como conclusao, nao indicamos o corticoide oral na tentativa de tratamento dos pacientes com estenose do canal lombar sintomaticos
Assunto Humanos
Idoso
Meia-Idade
Coluna Vertebral
Coluna Vertebral/patologia
Constrição Patológica
Constrição Patológica/quimioterapia
Corticosteroides
Claudicação Intermitente
Método Duplo-Cego
Humanos
Idoso
Meia-Idade
Idioma Português
Data 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 132 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 132 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22695

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)