Acidente ocupacional com material biológico em profissionais de Saúde: epidemiologia e fatores relacionados à adesão ao seguimento ambulatorial

Acidente ocupacional com material biológico em profissionais de Saúde: epidemiologia e fatores relacionados à adesão ao seguimento ambulatorial

Título alternativo Occupational exposure to blood and body fluids among healthcare workers: epidemiology and factors associated with adherence to follow-up after injury
Autor Escudero, Daniela Vieira da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Medeiros, Eduardo Alexandrino Servolo de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Infectologia – São Paulo
Resumo Introdução: Os profissionais da Saúde estao constantemente expostos a riscos em seu ambiente de trabalho, principalmente relacionados a exposicao acidental a fluidos corporeos e sangue que podem estar contaminados por diversos microrganismos, dentre eles podemos destacar os virus da hepatite B (HBV), hepatite C (HCV) e o virus da imunodefiCiência humana (HIV). Objetivo: Caracterizar as variaveis epidemiologicas dos acidentes ocupacionais com material biologico; analisar a utilizacao de antirretrovirais como profilaxia pos-exposicao e os eventos adversos relacionados ao seu uso e avaliar a adesao ao acompanhamento pos-acidente ocupacional. Metodo: Foi realizado um estudo tipo coorte analisando os dados obtidos da ficha de atendimento dos acidentes ocupacionais com material biologico, notificados ao Servico de Prevencao e Controle de Infeccao Hospitalar do Hospital São Paulo u Universidade Federal de São Paulo no periodo de janeiro de 2005 a dezembro de 2011. Para avaliacao da adesao ao seguimento pos-acidente alem dos dados obtidos atraves das fichas, os profissionais que se acidentaram entre 2010 e 2011 e nao compareceram ao retorno agendado foram convocados. As causas para o nao retorno foram obtidas no momento da convocacao. Resultados: No periodo do estudo foram notificados 2102 acidentes. Avaliando o periodo estudado, observamos reducao da densidade de incidencia (total de acidentes por ano/ total de pacientes-dia no ano) de acidentes entre os anos de 2005 e 2011 (p<0,001). A notificacao foi realizada por profissional do sexo feminino em 73,6% dos casos, sendo a equipe de enfermagem a categoria profissional que mais notificou exposicoes com 45%, seguido por residentes (22%). Houve aumento das notificacoes em menos de duas horas do acidente (p<0,001), assim como a utilizacao de equipamento de protecao individual (p<0,001). Os acidentes ocorreram em sua maioria no centro cirurgico (20,1%) e durante o periodo da manha (41,4%). Das exposicoes, 77,4% foram percutaneas, sendo a agulha com lumen o artigo mais envolvido (76,2%). Houve reducao nas exposicoes ocorridas durante a realizacao de glicemia capilar, verificada apos a implantacao de lancetas com agulha retratil (p=0,001). Em relacao a sorologia dos pacientes-fontes 69% foram negativas, 16% desconhecidas, 7% positivas para HIV, 6% positivas para HCV, 1% positivo para HBV e 1,44% apresentou algum tipo de coinfeccao. A profilaxia pos-exposicao com anti-retrovirais (ARV) foi indicada em 35,3% dos acidentes considerados de risco para transmissao de HIV. Em 97,8% dos profissionais que utilizaram os ARV ocorreram eventos adversos e 71,7% utilizaram a profilaxia pelo tempo recomendado de 28 dias. Em relacao a adesao ao seguimento pos-acidente ocupacional este apresentou aumento (p=0,028) apos a convocacao formal dos profissionais e esteve diretamente relacionada ao genero feminino (p=0,009), as exposicoes envolvendo fonte conhecida (p=0,026), paciente-fonte positivo para HIV (p=0,029) e a nao ocorrencia de acidentes anteriores (p=0,047). Conclusao: No periodo do estudo houve uma reducao do numero de acidentes com material biologico notificados. Houve melhora nos indicadores de qualidade relacionados ao programa de atendimento ocorrendo um aumento das notificacoes em menos de 2 horas, aumento da utilizacao de EPI e reducao de exposicoes percutaneas apos implantacao de lancetas retrateis para realizacao de glicemia capilar. Grande parte dos profissionais que utilizaram ARV como profilaxia apresentaram eventos adversos, porem a maioria completou o tratamento. A adesao ao seguimento pos-acidente ocupacional esteve diretamente relacionada ao genero feminino, as exposicoes envolvendo fonte conhecida e positiva para HIV, e a nao ocorrencia de acidentes anteriores
Palavra-chave Humanos
Acidentes de Trabalho
Epidemiologia
Pessoal de Saúde
Exposição a Agentes Biológicos
Seguimentos
Humanos
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 107 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22682

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta