Avaliacao das praticas nutricionais adotadas para recem-nascidos pre-termo de muito baixo peso durante a

Avaliacao das praticas nutricionais adotadas para recem-nascidos pre-termo de muito baixo peso durante a

Título alternativo Nutritional therapy applied to very low weight preterm newborn in neonatal unit
Autor Lima, Adriana Martins de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: Avaliar a nutricao parenteral (NP) e enteral (NE) adotadas para os recem-nascidos pre-termo (RNPT) e os fatores associados ao baixo ganho ponderal. Metodos: Estudo retrospectivo transversal de analise de prontuarios realizado com RNPT atendidos na Unidade de Cuidados Intensivos no periodo de Janeiro/2000 a Dezembro/2005. Foram excluidos os RNPT com intercorrencias que comprometessem a oferta nutricional e o crescimento. Pesquisou-se frequencia de reanimacao, Apgar de 1º e 5º minutos, classificacao do P/I, peso (PN), comprimento e perimetro cefalico (PC) ao nascer, intercorrencias clinicas, terapeuticas e procedimentos. Calculou-se dias para recuperar o PN, % de perda do peso, ganho de peso (g/kg/dia) comprimento e PC (cm/semana), dias para alcancar 1800 g e adequacao do peso a idade pos-conceptual. Dias para inicio e duracao da NP e NE, para alcancar a oferta maxima dos macronutrientes, quantidade inicial e maxima de glicose, aminoacidos e lipidios, dias de uso de enteral minima (ofertas < 24 mL/kg/dia sem incrementos), para alcancar a enteral exclusiva, 120 kcal/kg/dia, dias de uso de leite humano, leite humano e formula e formula exclusiva e frequencia de interrupcoes das terapias. Os RNPT foram avaliados divididos de acordo com o PN e o ganho de peso diario sendo G1 = 500 g a 999 g e G2 = 1000 g a 1499 g e G < 15g/kg/dia e G &#8805; 15 g/kg/dia utilizou-se testes parametricos e nao parametricos e a analise multivariada. Resultados: Estudou-se 184 RNPT sendo G1 (n=63) e G2 (n=121), ao nascer houve no G1 maior frequencia de reanimacao em sala de parto, valores inferiores de Apgar de 10 e 50 minutos, idade gestacional, peso, comprimento e PC, maior frequencia de doenca pulmonar cronica (58% X 28%), sepse (76% X 36%), meningite (19% X 6,6%), enterocolite necrosante (19% X 9%), PCA (44,4% X 20,6%), HPIV (49% X 16,5%), displasia broncopulmonar (55,5% X 13,2%) e de uso de indometacina, surfactante, cateter intravascular, numero de horas de fototerapia, ventilacao mecanica, CPAP, oxigenoterapia e de concentrados de hemacias (p=0,000). A NP foi iniciada com 2 dias (1-11) sem diferenca estatisticamente significante. A quantidade inicial de glicose (g/kg/dia) foi 7,8 (0,3-11,5) e a maxima 11,9 (5,3-18,5), sendo menores os valores no G1(5,8 e 9,8 - 7,3 e 13,3), p=0,000. A oferta inicial de aminoacidos foi 0,5 (0,5u2,0), sendo observados valores inferiores no G1 (0,5 versus 1,0) ambos os subgrupos alcancaram a oferta maxima de 2,0 (0,5u4,0). As ofertas iniciais e maximas de lipidios foram 0,5 (0,5u1,5) e 2,0 (0,5u3,5), p>0,005 e a de energia 32,9 (1,0u49,1) e 59,0 (27,0u96,2) sendo menores os valores no G1 (29,9 e 51,1) G2 (34,7 e 60,1). A oferta maxima foi alcancada com 4 dias (1u35) glicose, 6 (2-33) aminoacidos e 6 (2-38) lipidios (p>0,005). A frequencia de interrupcoes e o tempo de duracao da terapia foram maiores no G1 36% e 11 (2-104) G2 14% e 8,5 (1-68), p<0,005. Em relacao a NE o n&#9702; de dias de uso exclusivo de formula 24 (1-88) foi superior ao de leite humano com ou sem aditivos 8,5 (1-60) e de leite humano e formula 10 (1-97). No G1 houve maior uso de leite humano (13 dias versus 7 dias) e leite humano e formula (14 dias versus 9 dias), p<0,005. O inicio da NE ocorreu com 3 dias (1-16), o tempo de uso de enteral minima foi de 2 dias(1-30), para alcancar a enteral exclusiva 12 dias (3-69), 120 kcal/kg/dia 17 dias (7-63) e a duracao de terapia 26,5 (1-95), sendo maior a mediana observada dessas variaveis no G1 (p<0,005). Dos RN estudados 32,1% (59) apresentaram taxas < 15 g/kg/dia, ao analisar as criancas divididas de acordo com o ganho de peso, nao houve diferenca estatisticamente significante para a maioria das variaveis estudadas (p>0,005) e entre os fatores associados ao baixo ganho ponderal o uso de VM e de surfactante foram associadas ao ganho de peso < 15 g/kg/dia (p=0,000). Conclusao: Houve inicio precoce da NP e NE, as ofertas iniciais e maximas dos macronutrientes e de energia foram abaixo do recomendado para o crescimento, houve curta duracao da enteral minima, rapida progressao da NE, demora para alcancar 120 kcal/kg/dia e pequeno uso do leite humano. A VM e o surfactante foram associados com o ganho < 15 g/kg/dia
Palavra-chave Humanos
Recém-Nascido
Terapia Nutricional
Recém-Nascido/crescimento & desenvolvimento
Crescimento
Prematuro
Humanos
Recém-Nascido
Idioma Português
Data de publicação 2009
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2009. 130 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 130 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22672

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta