Qualidade de vida e funcionalidade instrumental em idosos com sindrome metabolica

Qualidade de vida e funcionalidade instrumental em idosos com sindrome metabolica

Título alternativo Quality of life and functionality instrumental in elderly patients with metabolic syndrome: a case-control
Autor Chiochetta, Gabriela Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: avaliar a relacao entre qualidade de vida e funcionalidade do idoso com sindrome metabolica, independente da presenca de sintomas depressivos. Metodologia: delineamento transversal de caso-controle com 49 pacientes (25 casos e 24 controles) com idade &#8805; 65 anos. A qualidade de vida foi avaliada atraves do WHOQOL-BREF e do WHOQOL-OLD e a funcionalidade atraves do Questionario de Funcionalidade Instrumental (QAF).. As medidas de tendencia central da qualidade de vida e da funcionalidade instrumental foram distribuidas de acordo com as variaveis socio-demograficas e clinicas, utilizando teste T para amostras independentes ou ANOVA (medidas parametricas), ou teste de Mann-Whitney e Wilcoxon (medidas nao-parametricas). A relacao entre os dominios da qualidade de vida em funcao do prejuizo da funcionalidade instrumental do idoso foi analisada por meio de estudos de associacao e de regressao linear, controlada para a presenca de sintomas depressivos. Utilizou-se o nivel de significancia de p < 0,05. Resultados: 91,8% eram mulheres, 79,2% estavam preservados funcionalmente e 75,5% nao apresentavam sintomas depressivos. A idade media foi de 73,9 anos. Perfil metabolico: 83,7% tinham hipertensao (media da pressao sistolica: 136 mmHg; diastolica: 77,3 mmHg); 77,6% eram obesos (media da circunferencia abdominal: 98,6 cm); 59,2% possuiam diabetes (glicemia de jejum media: 99,6 mg/dl); 27,1% tinham HDL-colesterol alterado (media HDL: 58,5 mg/d)l; e, 22,9% apresentavam hipertrigliceridemia (media triglicerides: 115,8 mg/dl). A qualidade de vida no dominio funcionamento do sensorio foi maior (p=0,01) para os idosos com sindrome metabolica. Quanto maior o escore do dominio fisico, menor foi o prejuizo funcional (r= -0,32; p=0,02). Os idosos que apresentavam prejuizo na funcionalidade instrumental tiveram um escore maior (p=0,05) no dominio morte e morrer. A funcionalidade instrumental, controlada para grupo de pesquisa e sintomas depressivos, se manteve como um fator preditor da qualidade de vida no dominio morte e morrer (&#946;=0,316; p= 0,03). CONCLUSAO: Apenas a preocupacao com a finitude esteve alterada na presenca de prejuizo funcional do idoso com sindrome metabolica, mostrando que quanto maior o prejuizo funcional, menor a preocupacao com a mortalidade. A avaliacao desta interacao entre funcionalidade e qualidade de vida pode ajudar no entendimento desta questao
Palavra-chave Humanos
Idoso
Humanos
Idoso
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 61 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 61 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22614

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta