Funcao vestibular no acidente vascular cerebral do territorio carotideo

Funcao vestibular no acidente vascular cerebral do territorio carotideo

Título alternativo Vestibular function in stroke of carotid territory
Autor Pires, Anna Paula Batista de Avila Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar a funcao vestibular de pacientes na fase tardia de Acidente Vascular Cerebral (AVC) do territorio carotideo. Metodo: Estudo transversal descritivo quantitativo e analitico em 40 individuos na fase tardia de AVC Isquemico. Os pacientes foram submetidos a uma avaliacao composta de anamnese, exame clinico otorrinolaringologico, Dizziness Handicap Inventory e vectoeletronistagmografia. Resultados: Nao foram encontrados nistagmo de posicionamento, posicional, espontaneo (olhos abertos e fechados), semiespontaneo e o nistagmo optocinetico nao apresentou resultados anormais. Anormalidades discretas de latencia, precisao e/ou velocidade dos movimentos sacadicos fixos e/ou randomizados, com morfologia preservada, foram encontradas em 20 pacientes (50,0%); sendo que 9 pacientes referiram desequilibrio e um referiu tontura no momento desta pesquisa. O rastreio pendular apresentou anormalidades dos valores do ganho em 17 casos (42,5%), sendo que 6 referiram desequilibrio e um tontura no momento desta pesquisa. Preponderancia direcional do nistagmo perrotatorio anormal ocorreu em um caso (2,5%) a estimulacao dos canais lateral, anterior e posterior e em um caso (2,5%) a estimulacao dos canais posterior e anterior, sendo que os dois casos referiram desequilibrio no momento desta pesquisa. A prova calorica identificou tres casos (7,5%) com predominio labirintico anormal e dois casos (5,0%) com preponderancia direcional do nistagmo anormal, sendo que os cinco casos referiram desequilibrio, no momento desta pesquisa. Verificamos que nos 11 pacientes que nao referiram manifestacoes de alteracao do equilibrio corporal no momento da pesquisa, 10 pacientes apresentaram alteracoes nos movimentos sacadicos fixos e/ou randomizados e no rastreio pendular e um apresentou exame vestibular normal. Conclusao: Pacientes com antecedente pessoal de AVC no territorio carotideo podem apresentar tontura ou desequilibrio corporal e sinais de comprometimento da motilidade ocular e da funcao vestibular
Palavra-chave Humanos
Acidente Vascular Cerebral
Eletronistagmografia
Vertigem
Tontura
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2010
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2010. 59 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 59 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22600

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta