Ciclobenzaprina para o tratamento da dor miofascial em adultos

Ciclobenzaprina para o tratamento da dor miofascial em adultos

Título alternativo Cyclobenzaprine for the treatment of the myofascial pain in adults: systematic reviews of randomized clinical trials
Autor Leite, Frederico Mota Goncalves Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Contexto: A dor miofascial e uma condicao dolorosa muscular difusa, caracterizada por dor regional associada a locais especificos de sensibilidade, os pontos gatilhos, definidos como uma area hipersensivel localizada em uma banda tensa de um musculo, tendao ou ligamento, de onde impulsos bombardeiam o SNC criando um padrao de dor regional, referida e/ou sintomas autonomicos de provocacao. A ciclobenzaprina, um relaxante muscular de acao central que controla a contracao muscular sem interferir em sua funcao, e utilizada no manejo clinico da dor miofascial. Objetivo: Avaliar a efetividade e a seguranca da ciclobenzaprina para a dor miofascial em adultos em relacao a outras intervencoes, a nenhuma intervencao e ao placebo para a diminuicao da frequencia e intensidade das crises. Tipo de estudo: Revisao sistematica de ensaios clinicos randomizados e quase-randomizados. Estrategia de busca: Foram pesquisadas as seguintes bases de dados: Pubmed (1966-2012), Registro de Ensaios Controlados da Colaboracao Cochrane u Central (2012, edicao 2), Embase (1980-2012) e Lilacs (1982-2012). Criterio para a selecao dos estudos: Foram incluidos ensaios clinicos randomizados e quase-randomizados que utilizaram ciclobenzaprina para o tratamento da dor miofascial em adultos. Analise e coleta de dados: Dois revisores independentes selecionaram os estudos relevantes, avaliaram o risco de vies e extrairam os dados. Resultados: Foram identificados dois estudos com um total de 79 participantes. O primeiro estudo, com 41 participantes, comparou ciclobenzaprina com clonazepam e placebo. Participantes em uso de ciclobenzaprina obtiveram melhora na intensidade de dor em comparacao com os do grupo em uso de clonazepam, diferenca de media (DM) -0.25 (95% IC, -0.41, -0.09; P = 0.002) e placebo, DM -0.25 (95% IC, 0.41, -0.09; P= 0.002). O outro estudo, com 38 participantes, comparou ciclobenzaprina com infiltracao de lidocaina. Trinta dias apos o inicio do tratamento houve diferenca estatisticamente nao significante entre grupos comparados, favorecendo o grupo de infiltracao de lidocaina, para a media de dor global, DM 0.90 (95% IC -0.35, 2.15, P= 0.16), e para a media de dor a compressao digital, DM 0.60 (95% IC -0.55, 1.75, P= 0.30). Nao houve efeitos adversos que colocassem o paciente em risco com o uso da medicacao. Conclusao: Nao ha evidencia suficiente para apoiar o uso da ciclobenzaprina no tratamento da dor miofascial. Foram identificados apenas dois estudos pequenos, e nao foi possivel estimar os riscos e os beneficios do tratamento. Sao necessarios mais ECR de alta qualidade de ciclobenzaprina no tratamento dor miofascial
Palavra-chave Humanos
Síndromes da Dor Miofascial
Analgésicos/uso terapêutico
Revisão
Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 135 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 135 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22577

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta