Estudo do polimorfismo do receptor FcγIIIa em pacientes com lupus eritematoso sistemico em uma amostra da populacao brasileira

Estudo do polimorfismo do receptor FcγIIIa em pacientes com lupus eritematoso sistemico em uma amostra da populacao brasileira

Título alternativo Fc gamma receptor IIIa polymorphism in systemic lupus erythematosus patients in Brazil
Autor Grecco, Marcelle Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A inefiCiência no clearance de imunocomplexos, considerado um fator de risco para o desenvolvimento de lupus eritematoso sistemico (LES), pode estar relacionada ao polimorfismo dos genes que codificam proteinas para receptores da classe de imunoglobulina G, os FcγR. O polimorfismo funcional 158 V/F do receptor FcγIIIa, expresso principalmente em celulas NK, foi objeto deste estudo. O genotipo VV liga mais IgG1 e IgG3 do que o genotipo FF e, em resposta ao estimulo com IgG humana, celulas NK de individuos homozigotos VV apresentam maior nivel de ativacao (Wu et al, 1997). O grupo de estudo foi composto por 305 pacientes com LES acompanhados no Ambulatorio de Reumatologia da Universidade Federal de São Paulo e 303 doadores de sangue saudaveis que responderam a um questionario para excluir doencas autoimunes. O estudo foi aprovado pelo Comite de Etica Institucional e todos os participantes assinaram o consentimento livre e esclarecido. O DNA genomico foi extraido pela tecnica de salting out e o polimorfismo foi determinado por PCR alelo-especifica. Entre os pacientes com LES encontramos 247 (81,0%) heterozigotos (VF), 23 (7,5%) homozigotos para o alelo F (FF) e 35 (11,5%) homozigotos para o alelo V (VV). Entre doadores de sangue, 207 (69,0%) foram heterozigotos (VF), 39 (13,0%) homozigotos para o alelo F (FF) e 54 (18,0%) homozigotos para o alelo V (VV). Pacientes com LES apresentaram uma maior frequencia de heterozigotos (p=0,001). Pacientes e controles de etnia branca nao diferiram quanto a distribuicao genotipica, porem pacientes com background de etnia negra apresentaram maior proporcao de heterozigotos VF (p=0,001) do que os controles de mesmo background etnico. Entretanto, nao houve diferenca entre os grupos estratificados ou nao por etnia quanto a distribuicao de alelos. Entre os 96 pacientes analisados quanto as manifestacoes clinicas, apenas manifestacoes hematologicas mostraram associacao com o genotipo VV. Porem, poucos pacientes apresentaram estas manifestacoes e apos estratificacao por etnia nao observamos associacao entre qualquer uma das manifestacoes e genotipo. Nao encontramos associacao entre a presenca dos alelos F ou V e susceptibilidade ao LES, a semelhanca de outros estudos realizados com amostras populacionais mexicana, afroamericana e espanhola. No entanto, entre asiaticos, ha estudos relatando a associacao do genotipo FF e LES. E possivel que a associacao entre manifestacoes hematologicas e genotipo VV detectada em nosso estudo nao seja verdadeira, devido ao reduzido numero de pacientes envolvidos. Novos estudos especificos destinados a abordar esta questao sao necessarios para confirmar ou afastar este achado
Palavra-chave Humanos
Polimorfismo Genético
Glicoproteínas
Receptores Fc
Fragmentos Fc das Imunoglobulinas
Lúpus Eritematoso Sistêmico
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2011
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2011. 101 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 101 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22567

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta