Potencial evocado auditivo de estado estável em crianças e adolescentes: correlação com os limiares auditivos comportamentais

Potencial evocado auditivo de estado estável em crianças e adolescentes: correlação com os limiares auditivos comportamentais

Título alternativo Auditory evoked steady state responses in children and adolescents: correlation with behavioral hearing thresholds
Autor Luiz, Cyntia Barbosa Laureano Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Azevedo, Marisa Frasson de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Distúrbios da Comunicação Humana (Fonoaudiologia) – São Paulo
Resumo Objetivo: Verificar a correlacao entre os limiares eletrofisiologicos obtidos no Potencial Evocado Auditivo de Estado Estavel (PEAEE), e os limiares comportamentais obtidos com audiometria tonal liminar em criancas e adolescentes com audicao normal e com perda auditiva neurossensorial. Metodo: Foram avaliados 45 individuos de ambos os sexos com idades entre 5 e 15 anos distribuidos nos seguintes grupos: 15 individuos com audicao normal (G1), 10 individuos com perda auditiva neurossensorial de grau moderado e moderadamente severo (G2M), 10 individuos com perda auditiva neurossensorial descendente (G2D) e 10 individuos com perda auditiva neurossensorial de grau severo e profundo (G2S). Os individuos foram submetidos a: audiometria tonal liminar, logoaudiometria (SRT e IPRF), medidas de imitancia acustica (timpanometria e pesquisa dos reflexos acusticos) e ao potencial evocado auditivo de estado estavel. Resultados: No grupo com audicao normal os limiares eletrofisiologicos maximos situaram-se entre 19 a 27dBcgNA. No grupo com perda auditiva de grau moderado e moderadamente severo a correlacao encontrada foi de 0.42 a 0.74. No grupo com perda descendente a correlacao foi de 0.68 a 0.94 e no grupo com perda auditiva de grau severo e profundo a correlacao foi de 0.59 a 0.86. As diferencas medias do limiar do PEAEE e do limiar da audiometria situaram-se entre: -0.3 e 12dB para o grupo de audicao normal, -9 e 2dB no grupo com perda auditiva de grau moderado e moderadamente, 1.4 e 7.5dB no grupo com perda descendente e -0.40 e -8.5dB no grupo com perda auditiva de grau severo e profundo. Conclusao: Nao houve correlacao entre os limiares eletrofisiologicos e comportamentais no grupo com audicao normal. Houve boa correlacao entre os limiares eletrofisiologicos e comportamentais nas criancas com perda auditiva, sendo esta relacao mais forte no grupo com perda auditiva descendente e de grau severo e profundo
Palavra-chave Criança
Adolescente
Potenciais evocados auditivos
Audição
Perda Auditiva
Criança
Adolescente
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Número do financiamento FAPESP: 2011/03436-9
Data de publicação 2013
Publicado em LUIZ, Cyntia Barbosa Laureano. Potencial evocado auditivo de estado estável em crianças e adolescentes: correlação com os limiares auditivos comportamentais. 2013. 104 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2013.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 84 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22542

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-13754.pdf
Tamanho: 1.692MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta