Prevalencia e caracteristicas de mulheres com aborto provocado

Prevalencia e caracteristicas de mulheres com aborto provocado

Título alternativo Prevalence and features of women with provoked abortion: one analysis in three contexts of São PauloÆs state
Autor Luz, Ana Caroline Batista Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A gravidez indesejada seguida de aborto provocado constitui um grande problema de Saúde publica, ha de se enfatizar que as diferencas intra-urbanas ainda persistem fortemente, o que levam a diferentes graus de exposicao dos individuos a certos riscos, alem das diferencas espaciais, as caracteristicas sociais deixam claro que ainda existe um grupo de mulheres com nivel de fecundidade bastante elevado, permitindo afirmar que a segregacao espacial presente nos municipios metropolitanos desencadeiam praticas reprodutivas distintas. O objetivo deste trabalho foi determinar os fatores associados a prevalencia de aborto provocado entre mulheres em idade fertil em tres areas do Estado de São Paulo, no ano de 2006 e 2008. Por meio de aplicacao de questionario entrevistou-se um total de 2842 mulheres dos tres locais. A analise estatistica foi dividida em duas partes: a primeira para o total de mulheres entrevistadas e a segunda somente com aquelas que declararam alguma gestacao. Em ambos os grupos realizou-se comparacao das caracteristicas sociodemograficas dos tres locais atraves de analise descritiva com teste exato de Fisher para comparar os perfis, em seguida analise univariada da resposta ter praticado aborto ou nao em relacao as caracteristicas sociodemograficas atraves de regressao logistica e finalmente regressao logistica para construcao do modelo final (p &#8804;0,05) atraves do processo de selecao de variaveis do tipo backward. Percebemos dentre o total da amostra que 1973 mulheres declararam alguma gravidez em suas vidas e dentre este valor 131 (6,60%) afirmaram ja ter cometido algum aborto. As variaveis que associadas foram preditoras para aborto provocado dentre as mulheres que engravidaram e, portanto foram influenciadoras para recorrencia ao aborto foram; Favela Mexico 70 (RC=1,67,IC95%=[1,027;2,715],p 0,039),Vila Mariana (RC=1,86, IC95%=[1,140 ; 3,037], p 0,013), idade continua (RC=1,05, IC95%=[1,033 ; 1,083], p <0,001), escolaridade de 0 a 8 anos (RC=1,55, IC95%=[1,033 ; 2,335], p 0,034), nao planejamento de alguma gestacao (RC=12,04, IC95%=[27,571 ; 5,261], p <0,001), nao possuir nascido vivo (RC=5,65, IC95%=[3,124 ; 10,249], p <0,001) e utilizar metodos contraceptivos nao eficazes (RC=1,68, IC95%=[1,138 ; 2,487], p 0,009). A media da fecundidade obtida variou de 1,80 a 2,53 filhos, sendo a menor para a vila Mariana e a maior para a favela Mexico 70. Percebemos tambem que quanto menor o numero de nascidos vivos maior e a disponibilidade para abortar. Relatos de aborto se fizeram presente nos tres locais, o que os diferenciou foi o metodo utilizado, o que dependia do poder aquisitivo da mulher
Palavra-chave Humanos
Mulheres
Aborto Induzido
Saúde Pública
Saúde Reprodutiva
Fertilidade
Humanos
Mulheres
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 122 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 122 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22540

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta