Avaliação neuromotora em pacientes portadores de mielomeningocele submetidos à intervenção cirúrgica intrauterina

Avaliação neuromotora em pacientes portadores de mielomeningocele submetidos à intervenção cirúrgica intrauterina

Título alternativo Neuromotor evaluation in patients with myelomeningocele submitted to intrauterine surgery
Autor Faria, Tereza Cristina Carbonari de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Cavalheiro, Sergio Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: avaliar o desenvolvimento neuromotor em pacientes portadores de mielomeningocele submetidos e nao submetidos a intervencao cirurgica intrauterina, verificar os fatores que influenciaram a evolucao clinica desses pacientes. Metodos: foram incluidos 19 pacientes com mielomeningocele acompanhados no Ambulatorio de Neurocirurgia Pediatrica da UNIFESP - EPM, acima de 3 anos e 6 meses de idade, sendo 15 casos do sexo feminino e quatro casos do sexo masculino. Os pacientes foram distribuidos em tres grupos: Grupo A - cirurgia intrautero a oceu abertoo, Grupo B - cirurgia intrautero para colocacao de derivacao ventriculo-amniotica e Grupo C u controle (casos em que a cirurgia de correcao da mielomeningocele foi realizada no periodo pos-natal). O quadro neuromotor foi avaliado por um fisioterapeuta observando-se a forca muscular, o nivel motor-funcional e o tipo de deambulacao. O nivel social e cognitivo tambem foi avaliado e observou-se tambem a presenca de hidrocefalia e problemas secundarios de Saúde. Resultados: Os pacientes do Grupo A obtiveram um desenvolvimento motor-funcional melhor em relacao aos Grupos B e C, alcancando niveis de deambulacao sem utilizacao de orteses ou auxiliares, assim como tambem foram os que menos necessitaram de tratamento fisioterapeutico em comparacao ao Grupo B (p<0,05). Os 15 pacientes que realizaram o teste cognitivo nao apresentaram deficits. Quanto ao nivel social foi observado que a maioria dos pacientes pertencia as classes sociais C e D, porem no Grupo A havia pacientes das classes A e B. Todos os casos dos Grupos B e C apresentaram hidrocefalia e necessitaram da colocacao de derivacao ventriculoperitoneal apos o nascimento, ja no Grupo A apenas dois casos necessitaram desta intervencao. O Grupo C apresentou mais problemas neurologicos que o Grupo A (p=0,067), assim como o Grupo B apresentou mais problemas ortopedicos em relacao ao Grupo A (p=0.079). Conclusoes: os pacientes do Grupo A, submetidos a cirurgia a ceu aberto, alcancaram melhores resultados no desenvolvimento neuromotor em relacao aos demais, tambem foram os que menos necessitaram de derivacao ventriculo-peritoneal, mostrando que houve reducao e prevencao da herniacao do tronco cerebral e do cerebelo neste grupo. A colocacao da derivacao ventriculo-amniotica no periodo intrauterino nao acrescentou melhora neuromotora, nem preveniu a hidrocefalia
Palavra-chave Meningomielocele
Feto/cirurgia
Hidrocefalia
Modalidades de fisioterapia
Idioma Português
Data de publicação 2009
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2009. 89 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 89 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22533

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta