O efeito do pericardio bovino na prevenção de aderências pélvicas en cães

O efeito do pericardio bovino na prevenção de aderências pélvicas en cães

Título alternativo The effect of bovine pericardium in adhesion pelvic prevention. Experimental study in dogs
Autor Florencio, Rodopiano de Souza Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Girão, Manoel João Batista Castello Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A prevencao de aderencias pelvicas, pelo uso de metodos de barreira, tem sido objeto de dezenas de publicacoes, apresentando resultados favoraveis e desfavoraveis. Poucos produtos pesquisados tem aparente efetividade e reprodutibilidade de resultados inter-especies e entre grupos de pesquisadores distintos. Tais produtos ainda nao sao utilizados de forma rotineira em nosso pais, principalmente em razao do alto custo. O pericardio bovino, uma membrana ja em uso no pais, em outras areas da medicina, como em cirurgias cardiacas e em reparos de defeitos na parede abdominal, tinha caracteristicas sugestivas para experimentacao nessa area de pesquisa. Objetivo: avaliar a eficacia do pericardio bovino (PB) na prevencao de aderencias em caes submetidos a duas lesoes indutoras de aderencias no grupo controle (GC) e no grupo experimental (GE). Material e Metodos: dezessete cadelas, sem raca definida e nao-prenhas, foram anestesiadas e submetidas a lesoes indutoras de aderencias, sendo a primeira a miometrectomia anterior com sutura isquemica, e a segunda o fechamento do peritonio com sutura ancorada isquemica. No GE, com nove cadelas, colocou-se o PB recobrindo integralmente a primeira lesao; na segunda lesao, recobriu-se a area de sutura isquemica na extremidade inferior. Apos seis dias, no minimo, as cadelas foram sacrificadas e as aderencias quantificadas, segundo a sistematizacao sugerida pela American Fertility Society denominada MCASM, e por outra definida pelo autor da tese em que se avaliou apenas o percentual de area aderida e nao a forca da aderencia (Florencio% Extensao). Resultados: O GC e GE nao tiveram diferencas significativas na media de peso (kg) e tempo irurgico (12,62/15,66 p= 0, 3868) e (78,25/77, 88, p= 0, 9086). Lesao 1: o GC apresentou escore medio 6,50 versus 6,00 no GE, p= 0,718 (MCASM) e 4,87/4,33 com p= 0,615 (Florencio%Extensao), diferencas nao significativas. Lesao 2: o GC teve escore medio 4,62 versus 7,55 no GE e p= 0,005 (MCASM) e 2,75/4,77 com p= 0,015 (Florencio%Extensao), diferencas significantes. Conclusoes: As lesoes foram fortes indutoras de aderencias, e o PB nao preveniu a formacao de aderencias. Alem disso, o PB produziu mais aderencias na lesao 2
Palavra-chave Animais
Aderências Teciduais/prevenção & controle
Pericárdio
Epidemiologia Experimental
Modelos Animais
Cães
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 80 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 80 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22528

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta