Expressão da desiodase do tipo III no hipocampo de animais com epilepsia

Expressão da desiodase do tipo III no hipocampo de animais com epilepsia

Título alternativo Expression of the deiodinase type III in the hippocampus of rats with epilepsy
Autor Nassif, Renata Jorge Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Scorza, Fulvio Alexandre Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Existe uma alta densidade nos cerebros de ratos, tanto no desenvolvimento como no estagio adulto, de receptores de a 3,5,3Æ-triiodotironina (T3), sugerindo uma intensa interacao dos hormonios tireoidianos (HT) e o sistema nervoso central (SNC). Recentes estudos demonstram que perturbacoes tireoidianas comprometem a integridade de tecidos cerebrais, como hipocampo e cortex parietal, influenciando no comportamento e processo de aprendizado e memoria. Falhas nos niveis deste hormonio estao relacionadas com defeitos na regulacao bioquimica, metabolica, estrutural e genetica no SNC de ratos adultos. As desiodases do tipo I (D1), do tipo II (D2) constituem um grupo de proteinas que agem ativando o pro-hormonio T4 em sua forma biologicamente ativa, T3. Em contraste a desiodase tipo III (D3), previne a ativacao do T4, convertendo este em T3 reverso, (T3r), e T3 em T2, que sao consideradas formas inativas do hormonio. Esta enzima e pouca expressa em tecidos pos-natal, porem diversas pesquisas observaram o aumento da sua expressao em pacientes criticamente doentes, principalmente em tecidos com lesao hipoxico-isquemica. A epilepsia e a desordem neurologica grave mais comum, tendo no Brasil incidencia na ordem de 18.6/1000 habitantes, sendo o lobo temporal o mais epileptogenico dos lobos cerebrais, confirmando dados de que a epilepsia do lobo temporal (ELT) e a mais comum entre os casos de epilepsias, principalmente nos adultos. A formacao hipocampal e a estrutura mais danificada na ELT, exibindo uma perda neuronal seletiva resultando na esclerose hipocampal. Embora o mecanismo exato para o aparecimento dessas lesoes neuronais ainda nao esteja exatamente esclarecido, sabe-se que a hipoxia e a isquemia cerebral estao sendo associadas ao desenvolvimento de crises epilepticas, ou ate mesmo, possuem um papel crucial na auto-regulacao da interrupcao dessas crises. Com isso, podemos dizer que a hipoxia parece estar envolvida no inicio ou no termino das crises epilepticas, porem nao e claro o seu papel nessa patologia. A D3 possui sua expressao e atividade aumentada pela hipoxia, levando estes tecidos ao um estado hipotireoideo, reduzindo a taxa do metabolismo e a demanda de energia. A hipoxia nos tecidos do SNC envolvidos na epilepsia, tais como o hipocampo, pode apresentar aumento da atividade e expressao da D3. Seguindo esse raciocinio e interessante relacionar as consequencias da epilepsia e uma reducao local da atividade do HT nesta patologia. A pesquisa utilizou o modelo da Pilocarpina para induzir epilepsia nos animais. A atividade da D3 foi quantificada atraves dos metodos de Imunohistoquimica (IHC) e Western Blot (WB), no estagio agudo e cronico deste modelo. Os resultados observados foi o aumento da concentracao da D3, comparada com os animais do grupo controle, pelo metodo de WB. Reforcando este dado, o metodo de IHC revelou intensas marcacoes nas regioes hipocampais: CA3, CA1, Giro Denteado e Hilo nas fases aguda e cronica do modelo da pilocarpina, regioes estas envolvidas na esclerose hipocampal. Para confirmarmos o envolvimento da hipoxia no aumento da expressao da D3, quantificamos a concentracao de Neuroglobina (Ngb). A Ngb exerce uma funcao importante na manutencao do oxigenio intracelular, proporcionando integridade neuronal e protecao durante as condicoes de hipoxia e isquemia. Como resultado, foi verificado o aumento da concentracao da Ngb em todo cerebro dos animais, porem houve um aumento da expressao nas regioes afetadas pela esclerose hipocampal, nos grupos Agudo e Cronico. Podemos sugerir, dentre os resultados achados, que ha uma menor taxa metabolica em tecidos hipoxicos, observados nas consequencias epilepticas, podem ser um efeito neuroprotetor, reduzindo o HT local atraves do aumento da expressao de D3
Palavra-chave Hormônios tireóideos
Epilepsia
Hipocampo
Iodeto peroxidase
Anóxia
Animais
Ratos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 72 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 72 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22526

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta