Microbiota colônica, sobrecrescimento bacteriano no intestino delgado e estado nutricional

Microbiota colônica, sobrecrescimento bacteriano no intestino delgado e estado nutricional

Título alternativo Colonic microbiota, small intestinal bacterial overgrowth and nutritional status: a study in school children of two different socioeconomic level
Autor Mello, Carolina Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Morais, Mauro Batista de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: Caracterizar a microbiota fecal de criancas pertencentes a classes socioeconomicas distintas, com e sem excesso de peso e de acordo com os antecedentes neonatais. Metodos: Estudo transversal onde foram incluidas 153 criancas com idades entre 5 e 11 anos, moradoras do municipio de Osasco - São Paulo, Brasil. Peso e estatura foram mensurados e foram caracterizadas com excesso de peso as criancas que apresentaram escore Z do indice de massa corporal superior a +1 desvio-padrao. Criterio de classificacao socioeconomica foi utilizado para caracterizar as criancas pertencentes as classes A e B (altas) e classes C, D e E. Dados de antecedentes neonatais (tipo de parto, idade gestacional ao nascer e tempo de duracao do aleitamento materno) foram obtidos por questionario padronizado. Eubacterias totais, Bacteroides fragilis, Escherichia coli, Lactobacillus spp., Staphylococcus aureus, Enterococcus faecalis, Salmonella spp., Methanobrevibacter smithii, Bifidobacterium spp., Clostridium difficile e Clostridium perfringens foram quantificadas em amostras de fezes por PCR em tempo real. Resultados: Excesso de peso foi verificado em 25,5% (39/153) das criancas avaliadas. As criancas com excesso de peso apresentaram maiores contagens de Bifidobacterium spp. (p=0,048), Salmonella spp. (p<0,001) e Clostridium difficile (P=0,023), e menores contagens de Eubacterias totais (<0,001), E. Coli (0,008) e M. smithii (<0,001), quando comparadas as criancas sem excesso de peso. Foram observadas diferencas na composicao da microbiota das criancas em relacao ao modo de parto e a idade gestacional ao nascer. Criancas das classes socioeconomicas A e B apresentaram 10,4 vezes mais chances de terem excesso de peso quando comparadas as criancas das demais classes socioeconomicas. Maior contagem de Lactobacillus spp. foi constatada no grupo de criancas pertencentes as classes C, D, E com excesso de peso. Conclusao: Foram verificadas diferencas na composicao da microbiota fecal de criancas com e sem excesso de peso. Classe socioeconomica e fator de risco para a ocorrencia de excesso de peso
Palavra-chave Humanos
Criança
Bactérias anaeróbias
Crescimento bacteriano
Estado nutricional
Colo
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 120 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 120 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22521

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta