Antecedente de Terror Noturno em adolescentes com enxaqueca

Antecedente de Terror Noturno em adolescentes com enxaqueca

Título alternativo Night terror antecedent is common in adolescents with migraine
Autor Nobrega, Libania Melo Nunes Fialho Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Cefaleias e disturbios do sono, de forma geral, sao condicoes clinicas reconhecidas ha seculos. Ambas ja foram descritas desde os documentos medicos mais antigos, como no Papiro de Ebers, encontrado em Tebas em 1500 a.C., no qual ja eram mencionadas caracteristicas de dores sugestivas de enxaqueca e de varias perturbacoes do sono, inclusive com as primeiras descricoes de enurese noturna. Alem disso, ja nos manuscritos gregos e nas descricoes de Hipocrates e Galeno de Pergamon pode-se observar as tentativas da humanidade em compreender e buscar a cura dessas patologias.(1) A cefaleia, em si, e uma situacao de carater praticamente universal, sendo muito raro encontrar, nos tempos atuais, um individuo que afirme, com seguranca, nunca ter sofrido um episodio de dor de cabeca em toda a vida. De todos os tipos de dores de cabeca existentes, a enxaqueca e reconhecida como a mais frequente e a que apresenta maior impacto no cotidiano, tendo sido, inclusive, posicionada pela OMS entre as 20 condicoes morbidas mais incapacitantes. (2) Apesar dos grandes avancos das ultimas decadas produzidos por pesquisas sobre sua fisiopatologia, a natureza exata desse processo ainda nao foi elucidada, (9) mas sabe-se que apresenta associacao marcante com o ciclo de sono e vigilia e com outros ritmos circadianos, sugerindo que possa constituir um disturbio cronobiologico.(10) Os disturbios do sono, por sua vez, tambem podem acarretar serias consequencias na qualidade de vida e, assim como a enxaqueca, sao bastanteprevalentes na populacao infantil e entre adolescentes. A partir dessas constatacoes, surgiram diversas evidencias de que existe uma forte associacao entre essas duas condicoes. E reconhecido o fato de que individuos com cefaleia apresentam transtornos do sono com maior frequencia. Estudos mostraram que, entre criancas e adolescentes enxaquecosos, 8,13% apresentavam alteracoes do padrao do sono, enquanto isso acontecia em apenas 2,35% do grupo de controle. (65) Entre esses disturbios, as parassonias tomam importancia significativa na populacao pediatrica devido a sua prevalencia, tendo sido observado, em alguns poucos estudos, que especificamente o terror noturno e mais frequente em individuos com enxaqueca. (63) A correlacao entre essas duas condicoes passa a ser, entao, motivo para a formulacao de varias hipoteses. Pode-se inferir que a cefaleia seja o agente causador 2 dos transtornos do sono, que os problemas do sono sejam os agentes desencadeantes das dores de cabeca, ou que as duas condicoes tenham uma origem comum. A justificativa para a primeira hipotese, segundo a qual a cefaleia constitui o agente causador dos transtornos do sono, so se aplica em condicoes especificas, como no abuso de medicacoes ou na associacao com quadros depressivos. (4) A segunda hipotese, em que os disturbios do sono desencadeariam a cefaleia, seria adequada para casos de transtornos respiratorios relacionados ao sono, conforme acontece nas cefaleias noturnas ou matutinas provocadas pela hipoxemia e hipercapnia (5), assim tambem para efeitos da privacao de sono como fator desencadeante reconhecido de enxaqueca. (4) A terceira possibilidade seria a de que as duas condicoes teriam uma origem comum, com envolvimento dos mesmos neurotransmissores, ou dos mesmos mecanismos geneticos, baseados em investigacoes de prevalencia e avaliacao de correlacoes fisiopatologicas entre as duas condicoes. (65) Essa seria uma explicacao interessante principalmente para os casos de parassonias, como terror noturno e sonambulismo.(58,65) Estudos anteriores que avaliam adolescentes e criancas com enxaqueca mostraram que existia alta prevalencia de disturbios do sono nos pais desses individuos, alem de historia pregressa de transtornos de sono nos proprios individuos mais velhos. Isso poderia representar um link entre essas duas condicoes, mostrando aprovavel existencia de um substrato neurobiologico que poderia estar presente desde o inicio da vida.(4, 55,65) Dentre os neurotranmissores que estariam envolvidos na genese dos disturbios do sono e da enxaqueca, pode-se citar o papel da serotonina, cuja liberacao e regulada pelo nucleo supraquiasmatico. A serotonina teria importancia tanto na manutencao da arquitetura do sono, como no aparecimento da dor. (65) O filosofo frances Rene Descartes descreveu a glandula pineal como oa sede da almao. Com a descoberta da melatonina, seu principal produto secretorio, a pineal deixou de ser considerada como um orgao vestigial. (7) A glandula pineal e a melatonina, considerada uma indolamina que tem a serotonina como precursora, apresentam importancia fundamental nos mecanismos de adaptacao do organismo ao meio ambiente, cuja disfuncao pode estar relacionada com a genese de diversos processos patologicos, incluindo doencas neurologicas.(8) Enquanto as crises de enxaqueca, na fase de prodromo, podem iniciar-se por um disturbio funcional ao nivel do hipotalamo(11-16) com alguns estudos apontando para 3 alteracoes dos niveis de melatonina ou de seus metabolitos em pacientes com formas especificas dessa condicao(17-21), e tambem para um potencial papel terapeutico de tal substancia(21-22), as parassonias, incluindo o terror noturno, ja foram eficazmente tratadas, de acordo com algumas pesquisas, com precursores da serotonina, como o L- 5-Hidroxitriptofano(104). Diante desses fatos, pode-se facilmente colocar os disturbios do sono como uma condicao morbida que tem associacao importante com a enxaqueca, sendo, portanto, comorbidades. O estudo de comorbidades da enxaqueca e potencialmente importante por diversos aspectos. Em primeiro lugar, seu estudo possui implicacoes no correto diagnostico da enxaqueca;, em segundo lugar, o estudo das comorbidades pode impor tanto limitacoes quanto criar oportunidades terapeuticas(44); finalmente, o estudo das comorbidades pode prover pistas ao entendimento dos mecanismos fisiopatologicos da enxaqueca.(44) Poucos estudos anteriores mostraram a correlacao entre enxaqueca e parassonias, em especial o terror noturno, condicao prevalente e pouco estudada na infancia. (65) Por isso, o presente trabalho propoe-se estudar a correlacao entre terror noturno e enxaqueca. De forma especial, o antecedente de terror noturno em adolescentes portadores de enxaqueca, com a intencao de encontrar uma possivel correlacao entre estas duas condicoes
Palavra-chave Terrores Noturnos
Transtornos de Enxaqueca
Adolescente
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 91 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 91 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22505

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta