Controle do eixo Hipotálamo-Hipófise-Adrenal pelos neuropeptídeos vasopressina e hormônio liberador de corticotrofina e seu papel no estresse e em modelos animais de ansiedade e depressão

Controle do eixo Hipotálamo-Hipófise-Adrenal pelos neuropeptídeos vasopressina e hormônio liberador de corticotrofina e seu papel no estresse e em modelos animais de ansiedade e depressão

Título alternativo Hypothalamus-Hipophysis-Adrenal axis control by Vasopressin and Corticotrophin-releasing Hormone and its role in stress and animal models of anxiety and depression
Autor Ramos, Adriana de Toledo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Tufik, Sergio Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Psicobiologia – São Paulo
Resumo A resposta ao estresse em mamiferos e uma reacao integrada, fisiologica e psicologica, a adversidade real ou percebida. Doencas psiquiatricas tem sido relacionadas a experiencias de estresse, tais como a depressao e a ansiedade, em suas diversas modalidades. Neste estudo demonstramos que e possivel bloquear a secrecao de ACTH causada por estresses de uma maneira muito robusta quando se empregam simultaneamente os antagonistas de receptores de corticotrofina (CRF1 - CP154,526 da Pfizer) e vasopressina (V1B - SSR149415 da Sanofi-Aventis). Provamos este mecanismo substituindo o antagonista de CRF1, CP154,526 pelo SSR125543 e obtivemos os mesmos resultados de inibicao da liberacao de ACTH, em tres modelos de estresse: nado forcado, inalacao de vapor de eter e contencao. Usando-se apenas o SSR125543, o bloqueio da secrecao de ACTH ocorreu apenas no estresse de contencao. Os resultados mostram que os efeitos dessas drogas sobre o eixo HPA tem curta duracao. Na tentativa de prolongar a acao das drogas em questao, empregamos como veiculo uma silica nanoestruturada (SBA-15) e, posteriormente, bombas osmoticas de infusao Alzet®, mas nenhum destes metodos alcancou resultados satisfatorios. Desafiamos entao a hipotese de que o uso simultaneo destes agentes poderia ter um efeito potente sobre modelos animais de ansiedade e depressao. Empregamos doses decrescentes destas duas drogas desde 30 a 0,1 mg/kg em grupos de ratos Wistar submetidos a tres modelos comportamentais, a saber, teste do nado forcado, labirinto em cruz elevado e interacao social em campo aberto. Os resultados mostraram que os modelos de ansiedade (labirinto em cruz elevado e interacao social) nao responderam ao tratamento, mas este foi capaz de diminuir o tempo de imobilidade dos animais submetidos ao modelo de depressao (teste do nado forcado) nas doses de 1 a 30 mg/kg, em consonancia com os dados da literatura para ambas as drogas. Estes resultados apontam para o envolvimento de areas cerebrais extra-hipotalamicas, nao relacionadas a resposta ao estresse, na genese dos transtornos de ansiedade e depressao. Resultados clinicos com estas drogas tambem questionam a validade dos modelos comportamentais de depressao e ansiedade e seu poder preditivo dos disturbios humanos, uma vez que falharam na fase clinica II
Palavra-chave Animais
Ansiedade
Estresse Psicológico
Depressão
Receptores de Vasopressinas
Hormônio Liberador da Corticotropina
Ratos Wistar
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em RAMOS, Adriana de Toledo. Controle do eixo Hipotálamo-Hipófise-Adrenal pelos neuropeptídeos Vasopressina e Hormônio Liberador de Corticotrofina e seu papel no estresse e em modelos animais de ansiedade e depressão. 2012. 240 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2012.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 240 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22502

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-13681.pdf
Tamanho: 2.556MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta