Da estrutura e dimensionalidade dos transtornos mentais comuns

Da estrutura e dimensionalidade dos transtornos mentais comuns

Título alternativo The structure and dimensionality of common mental disorders
Autor Carvalho, Hudson Wander de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O objetivo desta tese de doutorado foi estudar a estrutura latente e a dimensionalidade de sinais, sintomas e diagnosticos dos transtornos mentais mais prevalentes. Para tanto, foram realizados quatro estudos independentes que contemplam os objetivos descritos. O primeiro examinou a coerencia da estrutura latente da versao brasileira de 60 itens do Questionario de Saúde Geral (QSG) em uma amostra comunitaria probabilistica e nao representativa. Os resultados indicaram que os itens do QSG avaliam de modo consistente uma dimensao inespecifica de vulnerabilidade psicopatologica internalizante. O segundo estudo testou a pertinencia do modelo estrutural de internalizacao e externalizacao com base em dados de dez diagnosticos psiquiatricos relacionados a depressao, ansiedade, ao uso de substancias e um indicador categorial de conduta antissocial u recidiva criminal u em uma amostra representativa e probabilistica de prisioneiros do Estado de São Paulo. Os resultados indicaram excelente ajuste dos dados ao modelo de traco latente com dois fatores moderadamente correlacionados (r = 0.41) de internalizacao e externalizacao. O terceiro estudo avaliou a estrutural e a consistencia interna da Escala de Afeto Negativo e Afeto Positivo (PANAS) com base em dados representativos da populacao adulta das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Os resultados indicaram que um modelo de dois fatores altamente consistentes (afeto positivo e afeto negativo) sao suficientes para explicar dimensionalidade dos itens PANAS. O quarto e ultimo estudo examinou a estrutura latente de transtornos internalizantes e conjuntamente com os tracos de afeto positivo e negativo. Os resultados indicaram que uma estrutura de dois fatores altamente correlacionados (fator de medo e fator de angustia) sao suficientes para explicar a estrutura e dimensionalidade das variaveis avaliadas. Afeto Positivo, entretanto, nao apresentou padroes suficientes de covariancia com as variaveis diagnosticas e, portanto, foi excluido das analises estruturais. Tomados em conjunto, os achados dos estudos indicam que os transtornos mentais sao mais bem descritos por um modelo de traco latente que pelo modelo baseado em categorias
Palavra-chave Humanos
Transtornos Mentais/diagnóstico
Depressão
Ansiedade
Afeto
Questionários
Classificação
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2012. 117 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 117 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22492

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta