Recorrência em pacientes portadores de melanoma cutâneo submetidos a biópsia de linfonodo sentinela: seguimento mediano de 37 meses

Recorrência em pacientes portadores de melanoma cutâneo submetidos a biópsia de linfonodo sentinela: seguimento mediano de 37 meses

Título alternativo Patterns of recurrence following sentinel lymph node biopsy for cutaneous melanoma: outcome after 37 months of follow-up
Autor Oliveira Filho, Renato Santos de Autor UNIFESP Google Scholar
Silva, Allisson Monteiro da Autor UNIFESP Google Scholar
Arcuschin, Liliana Google Scholar
Wagner, Jairo Google Scholar
Yamaga, Lilian Yuri Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Centro Avançado de Prevenção e Tratamento de Câncer
Hospital Israelita Albert Einstein
Universidade de São Paulo (USP)
Resumo BACKGROUND: Sentinel node biopsy (SNB) has been considered as an advance in surgical oncology for microstading melanoma. We report our experience with this procedure focusing on recurrence. METHODS: SNB was performed in 133 cutaneous melanoma patients submitted to preoperative lymphoscintigraphy, lymphatic mapping and gamma probe detection. Histologycal samples were analysed by HE and immunohistochemistry (IHC). RESULTS: The sentinel node was detected in 126 patients (96.2%). Micrometastasis were diagnosed in 20 patients (15.6%). There were nine recurrence, four in negative sentinel node group (108 patients). In this group, there was one systemic recurrence and three (2.8%) on lymphatic drainage region (false negative). In positive sentinel node group (20 patients) there were five recurrences. The recurrence was lower among negative sentinel node patients (p=0.0048). Ulceration (p=0.029) and positivity of the sentinel node (p=0.003) were considered significant risk factor by logistic analisys. Only sentinel node positivity maintained significance on multivariate analysis (p=0.024). The median follow up was 37 months. CONCLUSION: Patients with positive sentinel node presented more recurrence than negative sentinel node patients. The false negative rate was 2.8% and patients didn't have long-term sequelae ,allowing us to consider SNB as a secure and accurate procedure for melanoma staging.

OBJETIVO: A biópsia de linfonodo sentinela (BLS) representa um avanço na cirurgia oncológica para o microestadiamento do melanoma. Apresentamos nossa experiência dando ênfase para a recorrência. MÉTODO: A BLS foi realizada em 133 pacientes portadores de melanoma cutâneo localizado envolvendo linfocintilografia, mapeamento linfático e detecção gama intra-operatórios em todos os pacientes. O exame histopatológico foi realizado por HE e imunohistoquímica (IHC). RESULTADOS: Encontrou-se LS em 128 pacientes (96,2%). Micrometástase foi diagnosticada em 20 pacientes (15,6%). Houve nove recorrências, sendo quatro no grupo com LS negativo (108 pacientes). Neste grupo, houve uma recorrência sistêmica e três (2,8%) na região linfática de drenagem (falso negativo). No grupo com LS positivo (20 pacientes) ocorreram cinco recorrências. Houve diferença significativa de recorrência entre os grupos, tendo sido menor no grupo LS negativo (p=0,0048). Através de análise de regressão logística univariada a ulceração (p=0,029) e a positividade do LS (p=0,003) apresentaram significância estatística como fatores de risco. Porém, apenas a positividade do LS manteve singificância na análise multivariada (p=0,024). O seguimento mediano foi de 37 meses. CONCLUSÕES: Pacientes com LS positivo apresentam recorrência significativamente maior que pacientes com LS negativo. O índice de falso negativo foi de 2,8% e os pacientes não apresentaram seqüelas o que permite considerar a BLS como procedimento seguro para o microestadiamento do melanoma cutâneo.
Palavra-chave Sentinel node biopsy
Cutaneous melanoma
Lymphoscintigraphy
Lymphatic mapping
Biópsia de Linfonodo Sentinela
Melanoma cutâneo
Linfocintilografia
Mapeamento linfático
Idioma Português
Data de publicação 2004-10-01
Publicado em Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 31, n. 5, p. 279-283, 2004.
ISSN 0100-6991 (Sherpa/Romeo)
Publicador Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Extensão 279-283
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912004000500002
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0100-69912004000500002 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2247

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0100-69912004000500002.pdf
Tamanho: 32.42KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta