Frequencia, fatores de risco e consequencias do excesso de peso em criancas e adolescentes submetidos ao transplante renal: avaliacao a curto e medio prazo

Frequencia, fatores de risco e consequencias do excesso de peso em criancas e adolescentes submetidos ao transplante renal: avaliacao a curto e medio prazo

Título alternativo Frequency, risk factors and consequences of the excess of weight in children and adolescents submitted to renal transplantation: assessment on short and medium terms
Autor Barbosa, Sofia Bonna Boschetti Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: O transplante renal e o melhor metodo para a terapia de substituicao renal para pacientes com doenca renal terminal, pois possibilita maior sobrevida e melhor qualidade de vida para os pacientes. Pesquisas realizadas com pacientes adultos transplantados na decada de 90 demonstraram piores resultados quando realizados com pacientes obesos no momento do transplante; porem, no inicio desta decada, outros pesquisadores nao encontraram relacao entre o excesso de peso e piores resultados no transplante em adultos. Tendo em vista as controversias na literatura medica e a escassez de estudos na populacao pediatrica, torna-se necessaria a realizacao de estudos que verifiquem a frequencia do problema e a relacao entre o excesso de peso e o transplante renal.METODOS: Estudo retrospectivo, realizado com criancas e adolescentes submetidos ao transplante renal no Hospital do Rim e Hipertensao, no periodo de setembro de 1998 a dezembro de 2005 (284 sujeitos). Desse total, 242 tinham todos os dados completos no prontuario medico e tinham acompanhamento ambulatorial de no minimo 6 meses apos o transplante renal. Os dados foram coletados por um periodo de seguimento de 36 meses. Foram coletados os dados sobre o tipo de doador, tipo de tratamento pre-transplante, idade do receptor, episodios de rejeicao aguda e retardo na funcao renal alem de peso e estatura no 6º e no 36º mes pos-transplante. RESULTADOS: A media de idade no transplante foi de 12,7±4,0 anos e 138 (57%) eram do genero masculino. 52,1% receberam rim de doador falecido e as glomerulopatias foram as causas de doenca renal cronica mais frequente. No sexto mes pos-transplante 31% dos pacientes apresentaram excesso de peso e os fatores associados a este desfecho na analise univariada foram a idade no transplante, o transplante preemptivo e o tipo de doador. Na analise multivariada, a unica variavel que permaneceu estatisticamente significante foi a idade no transplante. Com relacao a funcao do enxerto no 6º e no 36º mes pos-transplante, nao encontramos diferenca estatisticamente significante. CONCLUSAO: Os primeiros seis meses apos o transplante renal sao um periodo de extremo risco para o desenvolvimento de sobrepeso e obesidade. Dado o potencial de complicacoes cardiocirculatorios associados ao excesso de peso, medidas concretas para a sua prevencao Introdução: O transplante renal e o melhor metodo para a terapia de substituicao renal para pacientes com doenca renal terminal, pois possibilita maior sobrevida e melhor qualidade de vida para os pacientes. Pesquisas realizadas com pacientes adultos transplantados na decada de 90 demonstraram piores resultados quando realizados com pacientes obesos no momento do transplante; porem, no inicio desta decada, outros pesquisadores nao encontraram relacao entre o excesso de peso e piores resultados no transplante em adultos. Tendo em vista as controversias na literatura medica e a escassez de estudos na populacao pediatrica, torna-se necessaria a realizacao de estudos que verifiquem a frequencia do problema e a relacao entre o excesso de peso e o transplante renal.METODOS: Estudo retrospectivo, realizado com criancas e adolescentes submetidos ao transplante renal no Hospital do Rim e Hipertensao, no periodo de setembro de 1998 a dezembro de 2005 (284 sujeitos). Desse total, 242 tinham todos os dados completos no prontuario medico e tinham acompanhamento ambulatorial de no minimo 6 meses apos o transplante renal. Os dados foram coletados por um periodo de seguimento de 36 meses. Foram coletados os dados sobre o tipo de doador, tipo de tratamento pre-transplante, idade do receptor, episodios de rejeicao aguda e retardo na funcao renal alem de peso e estatura no 6º e no 36º mes pos-transplante. RESULTADOS: A media de idade no transplante foi de 12,7±4,0 anos e 138 (57%) eram do genero masculino. 52,1% receberam rim de doador falecido e as glomerulopatias foram as causas de doenca renal cronica mais frequente. No sexto mes pos-transplante 31% dos pacientes apresentaram excesso de peso e os fatores associados a este desfecho na analise univariada foram a idade no transplante, o transplante preemptivo e o tipo de doador. Na analise multivariada, a unica variavel que permaneceu estatisticamente significante foi a idade no transplante. Com relacao a funcao do enxerto no 6º e no 36º mes pos-transplante, nao encontramos diferenca estatisticamente significante. CONCLUSAO: Os primeiros seis meses apos o transplante renal sao um periodo de extremo risco para o desenvolvimento de sobrepeso e obesidade. Dado o potencial de complicacoes cardiocirculatorios associados ao excesso de peso, medidas concretas para a sua prevencao
Palavra-chave Criança
Adolescente
Transplante de Rim
Sobrepeso
Obesidade
Fatores de Risco
Criança
Adolescente
Idioma Português
Data de publicação 2010
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2010. 70 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 70 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22441

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta