Modelo de Gestão em bancos de olhos e seu impacto no resultado destas organizacoes

Modelo de Gestão em bancos de olhos e seu impacto no resultado destas organizacoes

Título alternativo Management model in eyes banks and its impact in the result of these organizations
Autor Hilgert, Christiana Velloso Rebello Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Sato, Elcio Hideo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Oftalmologia e Ciências Visuais - São Paulo
Resumo OBJETIVO: Avaliar a efetividade do modelo de Gestão adotado pelo Banco de Olhos de Sorocaba (BOS) e Banco de Olhos da Santa Casa de Campo Grande (BOSCCG), segundo os criterios do Premio Nacional de Gestão em Saúde (PNGS) , demonstrando as caracteristicas comuns e discordantes entre os dois bancos de olhos, alem de tracar um paralelo entre a efetividade do modelo de Gestão adotado e os resultados destas organizacoes em numero de corneas doadas. METODOS: A pesquisa foi realizada em agosto de 2004. Foram entrevistados 29 funcionarios, sendo 21 do BOS e 8 do BOSCCG. O questionario e composto por 40 questoes fechadas, que estao agrupadas segundo os sete criterios do PNGS. Todos os participantes assinaram o termo de concessao livre e esclarecido.O trabalho foi aprovado pelo Comite de Etica em Pesquisa da UNIFESP. RESULTADOS: Em relacao a analise estatistica, para verificar se a opiniao dos 29 funcionarios em relacao aos sete criterios e semelhante ou nao entre as duas entidades, foi aplicado teste nao parametrico U de Mann-Whitney para comparacao de medias. Analisando os perfis socio-demograficos dos respondentes, nota-se que no quadro de funcionarios do BOS foram 52,4% de homens e no do BOSCCG 25% de homens; no BOS que o maior grupo se enquadra entre os que tem o ensino medio completo (52,4%) e o grupo predominante no BOSCCG e o de superior incompleto (50%). Em questao aos itens do questionario, no BOS todos tem conhecimento da missao da empresa (100%), enquanto que no BOSCCG 12,5% dos funcionarios nao conhecem a missao de sua instituicao. No BOS a maioria dos funcionarios acredita que suas liderancas utilizam os valores da empresa em suas gestoes (81%), no BOSCCG notam-se respostas bem distribuidas, sendo que 37,5% dos funcionarios sao indiferentes. No BOS, 90,5% dos funcionarios concordam que a lideranca cria um ambiente de trabalho propicio, enquanto no BOSCCG, 12,5% nao acreditam que seus lideres criam esse ambiente de trabalho. 76,2% dos funcionarios do BOS acreditam que sabem quais projetos e planos de sua empresa os afetarao ja no BOSCCG 37,5% nao acreditam que sabem. A maioria dos funcionarios do BOS (85,7%) e do BOSCCG (62,5%) afirma saber apontar se o seu grupo de trabalho esta progredindo no que foi planejado. Grande parte dos funcionarios do BOS (95,2%) e todos do BOSCCG (100%) afirmam saber como analisar a qualidade dos seus trabalhos ja executados para avaliar se e necessario proceder as mudancas. A maioria dos funcionarios do BOS (90,5%) afirma poder realizar mudancas que melhorarao seu trabalho e metade do grupo (50%) no BOSCCG afirma poder realizar mudancas. No BOS, 90,5% e no BOSCCG, 87,5% acreditam que seus clientes estao satisfeitos com seus trabalhos. No BOS, a maioria dos entrevistados (76,2%) e no BOSCCG, 50% afirmam que acreditam serem reconhecidos por seu trabalho. Todos os funcionarios do BOS(100%) acreditam que conseguem tudo que necessitam para realizar seu trabalho, porem, no BOSCCG 37,5% nao acreditam. 95,2% dos entrevistados no BOS estao satisfeitos com seu trabalho e 62,5% no BOSCCG. CONCLUSAO: Segundo os criterios do PNGS, o modelo de Gestão em funcionamento no BOS aproxima-se mais da excelencia em Gestão que o modelo no BOSCCG. Observa-se que a implantacao de um modelo de Gestão de Banco de Olhos baseado em fundamentos mundialmente reconhecidos contribui para a melhoria dos servicos das organizacoes podendo modificar o cenario brasileiro de doacoes de cornea
Assunto Humanos
Transplante de Córnea
Qualidade de Vida
BANCOS DE OLHO
Oftalmologia
Humanos
Idioma Português
Data 2008
Publicado em HILGERT, Christiana Velloso Rebello. Modelo de gestão em bancos de olhos e seu impacto no resultado destas organizações.2008. 109 f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2008.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 109 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22436

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Tese-13637.pdf
Tamanho: 3.092Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)