A teoria da retrogênese para a classificação dos estágios da doença de Alzheimer

A teoria da retrogênese para a classificação dos estágios da doença de Alzheimer

Título alternativo The retrogenesis theory to classify stages of Alzheimer's disease
Autor Silva, Rosimeire Vieira da Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bertolucci, Paulo Henrique Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Psicobiologia – São Paulo
Resumo Introdução: A teoria da retrogenese descreve um processo patologico reverso ao processo biologico de desenvolvimento humano. Alguns estudos sugerem que a progressao dos sintomas da doenca de Alzheimer (DA) recapitula inversamente os padroes de maturacao desenvolvimental, observados em estagios funcionais do individuo. O objetivo deste foi caracterizar aspectos funcionais de pessoas saudaveis e com DA em suas diferentes fases de gravidade, atraves de instrumento de avaliacao de independencia funcional num sentido reverso ao desenvolvimento humano e correlaciona-lo a medidas ecologicas para estagiamento clinico da doenca em condicoes livres de efeitos da escolaridade. Metodos: Estudo caso-controle, 156 pessoas, ambos os sexos, idade minima de 52 anos, divididos em: grupo estudado (GE) 107 pacientes com diagnostico de provavel DA nas fases inicial, moderada e grave de classificacao das demencias (CDR) entre 1; 39,25% (N=42); 2, 31,78% (N=34); e 3; 28,97% (N=31), em acordo aos criterios internacionais. O grupo controle (GC), composto de 49 pessoas saudaveis, cujos criterios de exclusao foram previamente observados. Todos submetidos ao rastreio cognitivo, escalas correspondentes para estadiamento funcional (FAST), sintomas de depressao (Yesavage), instrumental da vida diaria (KATZ) e metodo clinico de conservacao de Piaget como teste ecologico. Todos pareados por idade e escolaridade. Resultados: A media de idade da amostra foi de 70,77 anos, com predominancia do sexo feminino. Houve associacao significante entre as classificacoes CDR e as provas de conservacao piagetianas (X² = 226,651; gl = 36, p = 0,000) e forte correlacao entre escalas funcionais e CDR (,93). Como era esperado, o GC teve melhor desempenho cognitivo do que o GE que tambem apresentou maior dependencia para as atividades da vida diaria e nao conservacao nas provas piagetianas, de modo a corresponder a gravidade da doenca nas tres fases do (CDR). Conclusao: Pacientes com DA apresentam alteracoes funcionais que podem ser medidas como padrao reverso ao do desenvolvimento humano em acordo com a teoria da retrogenese. Independencia funcional pode ser avaliada atraves de instrumento ecologico livre dos efeitos de escolaridade como as provas piagetianas. Ha correlacao estatisticamente significante entre as provas piagetianas com as fases de classificacao CDR, rastreio cognitivo e das escalas de funcionalidade e de atividades diarias e instrumentais
Palavra-chave Humanos
Doença de Alzheimer
Envelhecimento
Desenvolvimento Humano
Neuropsicologia
Demência
Genes
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2012
Publicado em SILVA, Rosimeire Vieira da. A teoria da retrogênese para a classificação dos estágios da doença de Alzheimer. 2012. 147 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2012.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 147 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/22423

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-13640.pdf
Tamanho: 2.590MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta